Voltar     

MUNICÍPIO  DE  OSÓRIO

(Ex  Conceição do Arroio)

          


 

Cronologia da Paróquia de N. Sra. da Conceição do Arroio - Periodo 1742-1891

24.04.1742 -  Autorizada a construção da uma capela. (1)

Nota: Conforme (3), pgs. 123 e   124,  até 04/Set/1756 ainda  não havia  sido nenhuma  capela na  região nordeste do estado.  Pode-se entender  disso que talvez em Conceição do Arroio já  tivesse capela(s), mas não havia padres até  essse ano (1756).

18.01.1773 - Através de Portaria dessa data, D. Fr. Antonio do Desterro criou a freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Arroio, devendo seus limites serem demarcados de acordo com o governador do Continente Sul. Nesse documento o   Pe. João Antônio Rodrigues, de 39 anos, é nomeado o 1o. pároco  de Conceição do Arroio. (1)

                  Notas: 1) O Pe. João Antônio Rodrigues  era natural de  São Salvador dos Esturões, Ponte de Lima, arquidiocese de Braga, Portugal. 2) Foi ordenado padre em Buenos Aires que na época ainda fazia parte do  império espanhol na América Latina.  3)  Este padre ficou  em Conceição do Arroio até 1776 quando foi designado para a paróquia de Santo Amaro (RS), localidade nas proximidades de Triunfo. 3) Morreu em Rio Grande em 19.08.1813, aos 79 anos. (1)

1776-1777  -  A paróquia fica a cargo do Pe. João Manuel Xavier de Mattos, natural de São Paulo e ordenado na Bahia.  Nota: Em 1777  o padre foi designado para a paroquia de Cachoeira (do Sul ?) e depois foi para Desterro (atual Florianópolis). (1)

1777-1782 - Foi pároco o Pe. Antonio Pereira Sarmento, nascido nos  Açores,  entao com 45 anos. Nota: Em 1882 foi designado  para a paróquia de Cachoeira (do Sul?), vindo a falecer  em Rio Pardo  em 24.05.1822 (ou dia 22), com 90 anos. (1)

1782 -  A  paróquia foi atendida provisoriamente pelo Pe. Manoel Joaquim da Silva, pároco da freguesia de Mostardas (então chamada Sao Luis de Mostardas). 91)

1782-1784 -  Foi pároco o Pe. Joaquim José Mariano, natural do Rio de Janeiro. (1)

1784-1785 -  Foi pároco o Pe. Antonio Manuel de Medeiros Correa, natural da ilha  de São Miguel, nos Açores. Nota: Este padre foi ordenado de modo irregular (com documentos  falsificados)  em Buenos Aires. (1)

1785 -  Para exercer funções de auxiliar na paróquia, chega  o Pe. Silvestre Machado Teixeira, natural dos Açores. (1)

1777-1778 - O cargo de pároco é exercido pelo Pe. Antonio Teixeira Alvares de Souza. (1)

1778-1803 -  Exerce o cargo de pároco o Pe. Manuel José Sanhudo, natural da ilha de Desterro. Notas: 1) Foi ordenado padre no Rio de Janeiro em 22.09.1787. 2) Retirou-se de Conceição do Arroio por motivo de doença, vindo a falecer em Porto Alegre em 1824. (1)

1803-1819 -  A paróquia fica a cargo do  Pe. João de Souza Bittencourt, nascido em Desterro em 19.08.1760.

                Notas: 1)  Foi o 1o. "pároco colado"  de Conceição do Arrroio, tendo sido ordenado padre no Rio de Janeiro em  24.09.1791. 2 ) "Pároco colado" era um título que era fornecido inicialmente pelo governo imperial para depois ser aprovado pelas autoridades eclesiásticas.  Ou seja,  ele era  designado para ocupar o cargo de modo definitivo e não de modo interino.  Ver 30.05.1861. 3)  Faleceu em Conceição do Arroio em 20.08.1819, com 59 anos, sendo sepultado na matriz  de Conceição do Arroio.  4) Por ser "pároco colado" é que ele ficou mais tempo no cargo (16 anos). (1)  Dedução do Autor: Por ser "pároco colado", as autoridades do clero nao tinham atribuições para removê-lo daquela paróquia sem a concordância do governo imperial.

09.10.1815 -  O bispo do Rio de Janeiro (de 1808 a 1833), D. José Caetano da Silva Coutinho e comitiva  visitam  a paróquia de Conceição do Arroio, começando uma prolongada Visita Pastoral  as paróquias localizadas  no extremo sul do seu bispado. Notas: 1) Este bispo deixou um diário escrito sobre a impressao que teve de sua visita à Conceição do Arroio. 2) Foi a 1a. vez que um bispo visitava as paróquias do sul do Brasil. 3) Dia 12  o bispo foi com sua comitiva para Santo Antônio da Patrulha. (1)

1819-1825 - Passa a ser pároco  o Pe. Antonio Nunes da Silva, nascido em Sao João de Lobrigos, no bispado de Porto, Portugal. Notas:  1) Antes de vir para Conceição do Arroio, foi auxiliar do pároco de Santo Antonio da Patrulha. 2) Foi ordenado pároco em 10.03.1820. 2) Em 1825 foi deslocado para Porto Alegre onde veio a falecer em 08.08. 1841, aos 70 anos de idade. 3) Foi sepultado na matriz (igreja? de Conceição do Arroio). (1)

1825-1830: A paróquia fica a cargo do Fr. Prospero de S. Tereza, carmelita descalço, nascido em  12.03.1777, em Oneglia, dicosese de Albenga, Italia. Notas:  1) Ordenado sacerdote na Italia, esse religioso foi para a India onde abandonou a batina e se casou na igreja protestante da cidade de Cochim. 2) Depois de de arrepender-se, abandonou a mulher e  veio para o Brasil onde foi padre auxiliar em Gravataí. 3) Em 1833, voltou para a Italia onde faleceu em dezembro de 1854, em Roma. (2)

1833-1835 -  Passa a ser pároco o Pe. Aurelio Martins Pinheiro, natural de Santos, São Paulo e tido como  filho natural do Visconde de Sao Leopoldo. Notas: 1) Foi ordenado sacerdote no Rio de Janeiro em 13.08.1826. 2) Após Conceição do Arroio, foi para  Torres e depois professor de Latim em Porto Alegre onde veio a falecer em 03.02.1854. (2)

1835-1842 - Nesse periodo da Revolução Farroupilha a paróquia  de Conceição do arroio ficou sem titular, sendo atendida esporadicamente por algum padre de fora. (2)

1842-1844 -  Exerce o cargo de pároco o Pe. José Antonio Borja  de Santana. (2)

1844-1846 -  A paróquia passa a ser dirigida pelo Pe. Filipe Isnardi, nascido na Itália. (2)

1846-1847 -  Assume a paróquia o Pe. Angelo Vicente Maria Chiaves. (2)

1847-1849 -  Assume o cargo de pároco o  Pe. João Antonio de Carvalho. Nota: Faleceu em 14.04.1853 em Tijucas, no atual estado de Santa Catarina. (2)

1849-1851 -  O cargo de pároco fica vago. (2)

1851-1855 -  Ocupa o cargo de pároco o Pe. Luiz Antonio Pereira. (2)

1855-1861 -  Aqui ficou uma dúvida: se o cargo foi ocupado pelo Pe. José Xavier Carneiro ou se o cargo ficou vago.  (2)

1861-1991 -  Ocupa o cargo o Pe. Joaquim Ferreira Ramos como o 2o. pároco colado de Conceição do Arroio. Ficou 30 anos no cargo.

                Notas: 1) Nasceu em Encruzilhada (do Sul?) de pais incógnitos, foi encontrado abandonado em 07.12.1836 e batizado pelo Pe. Feliciano José Rodrigues Prates  em 08.05.1838; recebeu  o sobrenome do seu padrinho (Pacífico da Silveira Ramos) e  foi ordenado sacerdote em 28.05.1861 no Rio de Janeiro. 2) O Pe. Feliciano José Rodrigues Prates  veio a ser designado depois como o 1. bispo da diocese da provincia do Rio Grande. (2)

30.05.1861 -  Foi nomeado pároco e vigário de Conceição do Arroio o Pe. Joaquim Ferreira Ramos. Ver acima.

               Notas:  1) Conquistando a confiança e o apoio  de seus paroquianos, o governo imperial concedeu-lhe o título  de "pároco colado"  de Conceição do Arroio em 25.11.1863, sendo aprovado pela Igreja em 12.12.1863 e colado em 04.02.1864. 2) Em 13.11.1873, o 2o. bispo da diocese do Rio Grande (D. Sebastião Dias Laranjeira) em documento enviado ao Imperador D. Pedro II, enalteceu o trabalho desenvolvido por  14  prelados rio-grandenses, incluindo neles o nome do Pe. Joaquim Ferreira Ramos. 3) Em 08.02.1879 recebeu o título de Cônego da Capela Imperial e Catedral do Rio de Janeiro.  4)  Faleceu no cargo (em Conceição do Arroio?) em 24.03.1891. (2)

 

Referências:

1)  História da Igreja no Rio Grande Do Sul - Época Colonial (1626-1822), Vol 1,  Arlindo Rubert (Mons.) (1994)

2)  História da Igreja no Rio Grande Do Sul - Época Imperial (1822-1889), Vol 2,  Arlindo Rubert (Mons.) (1998)

3)  Guarda Velha de Viamão, de Ruben Neis (1975)

Internet:

A biografia do autor do livro (Mons. Arlindo Rubert) pode ser acessada em  > http://www.ihgb.org.br/dicbio.php?id=00044


Voltar