Voltar    

Página Inserida em Jan/2016   

Memórias   Pessoais

 

.

          


 

Memórias do Ginásio Conceição - Osório  (1959-1962)

Generalidades:  Com a conclusão do Curso Primário no Grupo Escolar General Osório (1953-1958), eu inicialmente  fui fazer um exame  de admissao para a Escola Tecnica de Agricultura (ETA)  que ficava localizada em Porto Alegre, na Av. Bento Gonçalves, junto a Faculdade (ou Escola) de Agronomia (UFRGS).  O ETA era uma  escola estadual  com um internato para os alunos que vinham do interior do estado. Enquanto  o predio da  Escola de Agronomia ficava junto a Av. Bento Gonçalves,   as dependencias do  ETA  se localizavam   em cima de um morro que havia no local. Só que no exame de admisão, minhas notas nao foram boas e assim  eu nao fui classificado para as vagas existentes. Com o resultado eu voltei para Osório e me matriculei no exame de admissao para o Ginásio Conceição, exame esse no qual a grande maioria dos alunos  obteve aprovação. Nao lembro de  alguem que tenha sido  reprovado. 

Situação:  Como era uma escola privada,  os alunos do Ginasio Conceição tinham que pagar  uma mensalidade para poder estudar. Porem, nao creio que fosse uma mensalidade tão  elevada que  nao pudesse ser paga pelas familias de classe média da cidade. Para se  manter, eu creio que a Pref. Municipal aportava algum recurso para pagar os professores, ou cedendo funcionarios para ministar aulas (como o prof. Lafaeite Pereira dos Santos).  Tambem funcionarios do Posto Experimental de Agricultura,   localizado na encosta do morro (onde depois seria a Escola Rural) tambem ministravam aulas. Lembro a figura do prof. Samuel Jones que alem de lecionar  ingles, foi diretor do Ginasio nos primeiros tempos, antes de se mudar para P. Alegre por volta de 1955/56.  Outros professores tais como Romildo Bolzan, Benito Izolan, Juaracy Pasquotto, etc.  vieram dos quadros da  Escola Normal Rural fundada em 1952 em Osório. Portanto, o Ginasio Conceição  estava bem servida de professores, mas havia deficiencias em algumas disciplinas.

Salas de Aula:  Antes  da fundação do Ginasio Conceição (1949) e da Escola Bormal Rural (1952), os alunos que concluiam o Curso Primário (no Grupo escolar)  tinham que  sair da  cidade para prosseguir os estudos. Alguns  foram fazer o ginasio no Colegio  Santa Terezinha, de Santo Antonio da Patrulha, outros foram fazer o ginasio  em Porto Alegre (no Champagnat, Rosario, Julio de Castilhos, Colegio Militar, etc.);   outros ainda foram fazer o ginasio em  internatos como o   do Colegio São Jacó (em Novo Hamburgo  ou Hamburgo Velho). Nao tinham outra alternativa.

Com a fundação  do Ginasio Conceição em 1949,  inicialmente as aulas foram ministradas  nas dependencias do Grupo Escolar. A  Prefeitura Municipal de Osório   deve ter feito  um convênio com a  Secretaria Estadual de Educação (ou órgao similar da época) para que fossem utilizadas as salas de aula do Grupo visto que  nao havia ainda um predio  mais indicado em Osório.  Posteriormente, por volta de  1955/56, certamente dentro mesmo convenio,    foi   permitida a construção de  um anexo (Anexo 1) , um  predio de  madeira,  dentro do terreno que pertencia ao Grupo Escolar Gen. Osório para ser utilizado como salas de aula.   Esse anexo  ficava  localizado defronte a rua  Santos Dumont, partindo do meio da quadra,   indo em direção a rua  Bento Gonçalves,  Esse  anexo  deveria medir uns 30 m (na  Santos Dumont) por uns 6 m (na Bento Gonçalves).  Ele  abrigava umas 2 salas de aula e mais uma peça para a secretaria. Como o espaço era insuficiente, para todas as 4 turmas, utilizavam-se ainda 1 ou 2    salas   de aula  do Grupo Escolar. Como o predio  do  Grupo   era bem grande e   possuia muitas salas de aula, distribuidas em 2 pavimentos; sempre sobrava alguma sala vazia  para as turmas  do Ginasio Conceição. Nota:  Um exemplo da falta de  instalações (salas de aula)  do Ginasio foi que -  por um certo tempo -  a nossa turma (2a. ou 3a. série) teve  aulas  no Clube Esportivo Sul Brasileiro, ou  no Clube Comercial ou  no Cine Labor!!!

Posteriormente, por volta de 1961, foi construindo um 2o.  anexo de madeira (Anexo 2)  ainda defronte  a  Santos Dumont, mas agora em direção da rua   Mal. Floriano Peixoto. Ali foi construido um   novo predio de madeira, contemplando mais 2  salas de aula. Portanto, o Ginasio agora possuia as 4  salas de aula necessarias para os seus alunos. Era uma   sala para cada série.  Por um certo tempo,    a secretaria do ginásio  e sua biblioteca ficaram  localizadas em um outro prédio, localizado   no outro lado da rua (Santos Dumont), onde residiam  os familiares do  João ? (mais conhecido como "João Pipoqueiro") e outras familias. Nas fotos  abaixo sao mostrados esses 2  anexos!

 

 

 

 

 

Funcionamento:  O   Ginasio Conceição só tinha aulas no periodo da tarde. As aulas iniciavam as 13 horas e iam até as 17 ou 17h30min,  com um breve periodo de recreio ali por volta de 15h30min. Cada aula tinha a duração de 1 hora.

As aulas de Ginástica (Educação Física) eram realizadas às 2as. e 3as. feiras, no 1o. horario  de manhã, cerca de 8h30min. Pelo que me consta, as alunas   tinham aulas com a profa.  Sonia Chemale e os alunos com o prof. Milton ? . Como ele nao residia em Osório; precisava sair de madrugada de Porto Alegre e pela RS-30  chegar  a Osório por volta de 8h30min para dar a sua aula.  Creio que pernoitava em Osório na 2a. feira, e dava nova aula as 3as. feiras de manha. Depois disso retornava a P. Alegre, voltando na semana seguinte. Essa foi uma das deficiencias do Ginasio Conceição. Nem todas disciplinas possuiam professores radicados em Osório. Lembro que a professora de Trabalhos Manuais,  cujo nome esqueci,  tambem  vinha de Porto alegre para lecionar no Ginásio.

Condições de Aprovação:  Faziam-se  somente   provas mensais de cada disciplina. Para ser aprovado de ano, o  aluno tinha que conseguir a média de  6,0 ou maior nas provas mensais. Realizavam-se de 6 a 8 provas mensais por ano, as provas eram chamadas de  "sabatinas". Não lembro se havia  exame final. Se o aluno nao atingisse a média exigida em todas as disciplinas,  ele  teria que repetir o  ano.

Funcionários: Lembro dos seguintes  funcionários que prestavam serviços na  secretaria ou  eram  auxiliares de classe: Maria Rita Negreiros, Anna Gladi Vieira Teixeira (Gládis) e Adroaldo Martins.  

João Pipoqueiro:    Seu João  (nao sei o sobrenome) morava em uma  casa defronte ao Grupo Escolar, na rua Santos Dumont. Na hora do recreio, lá ele  estava  com  seu carrinho de pipoca  na calçada (ou dentro do pátio da escola), servindo  os alunos do Grupo ou do Ginásio Conceição. Seu  João  era uma figura muito conhecida na cidade e muito querida pelos alunos. Era um amigão de todos nós!  

Identidade Estudantil:

Todo estudante do Ginasio tinha direito a receber uma carteira estudantil.  Nossa  entidade se  chamava  Grêmio Estudantil Conceição. Nao lembro se  quando  iamos  ao cinema em Osório (Cine Labor ou Central), o estudante  pagava meia-entrada com ela? Nos cinemas de Porto Alegre, isso valia! Essa carteiras  eram feitas  em Porto Alegre pela UGES - União Gaúcha dos Estudantes Secundários, entidade estadual que representava os estudantes secundaristas, seja de escolas públicas ou privadas. Abaixo estão duas  amostras dessa carteiras válidas para os anos de  1961 e 1962. Nota-se  que na frente da carteira assinavam os presidentes da União Municipal  dos Estudantes e o presidente da UGES.

 

 

Livros Utilizados:

 

 

 

 

Conclusão do Curso: Em 1962,   a  Cerimônia de Formatura foi realizada no Cine Labor. Ver abaixo a foto dos formandos! Nota:   Nos anos anteriores, eu creio que as formaturas eram realizadas, ou no Salão Paroquial, ou no Clube Comercial ou na sede do Clube Esportivo Sul Brasileiro (GESB).

 

 

Alunos Formandos:  Adão Souza,  Adair Micel,  Afonso Mallmann, Carlos Arlindo Adib, Claudio Pereira,  Daltro Vieira Souza, Danton Costa Leite Ilgenfritz, Dione Marion Costa, Divina Terezinha Noronha, Elenita Cardoso Oliveira, Enaldo Nunes Marques, Eni Girardi,  Erly Medeiros Perfeito,  Glauce Maria Ilgenfritz, Ivan Alberto Marques Rosa,  Jarbas Ramos,  Jeni Silva Pires, Jussara Camargo Ramos, Luiz Gonzaga Silva,  Maria Isabel Fernandes,  Maria Marta Negruni, Marina Odete Marques Rosa,  Marlene Simão Oliveira, Mario Andreoli Lemos, Martin Moraes Marques, Nelma Conceição Noronha, Ney Souza Pires, Nilza Maria Silva Pires,  Pedro Vilson Souza, Raul Linhares,  Sandra Maria Viecelli  e  Sônia Maria Gamba. (Transcrito do convite de formatura). 

 

Professores  do Período 1959-1962:

Fonte: Lembrança  pessoal  e pesquisa feita no Espaço Cultural Conceição.

             
             
  Matéria Professor Professor Professor Professor Professor
  Canto Orfeônico Marly Scholl Erna Almeida      
  Ciências Alvita  Oliveira        
  Desenho Leda  Leal        
  Educação Cívica Benito Izolan        
  Educação Física Sonia Chemale Milton ???      
  Francês Emilio Loch        
  Geografia Benito Izolan Elsa  Gomes      
  História Romildo Bolzan Juracy Pasquotto      
  Inglês Oscar Koeche Ilka Negreiros      
  Latim Romido Bolzan Osvaldo Rodrigues      
  Matemática Laboriou D'Avila José  Andrade André Fauri (?)    
  Português Iolanda Izolan Suely Braga Therezinha   Prates Osvaldo Rodrigues Geraldo Scur
  Religião Suely Braga Geraldo Scur      
  Trabalhos Manuais Leda  Leal Aurelia Sant'Anna      

 

=============================================================================================

 

Histórias do Ginásio Conceição

1)   Certo professor, aqui chamado de B., tinha   o costume de - pra mandar fazer silêncio -  na sala de aula -  pegar um objeto de cima da carteira (mesa) dos alunos que sentavam bem na frente. Com esse objeto, ele  batia   na tampa da mesa do aluno, fazendo barulho.  Certo dia, ele pegou a minha regua de plástico e batendo na minha mesa, acabou quebrando  a régua! Na hora fiquei chateado, mas o que fazer?  Levei numa boa.   No outro dia - só pra fazer pirraça   - eu trouxe  uma acha de lenha,   dessas que se usam em "fogão a lenha" e coloquei em cima da minha mesa. Quando ele se aproximou da minha mesa, e foi pegar a regua, viu a acha de lenha e "se flagrou"!!!  Os colegas - já sabendo que eu tinha  trazido a acha de lenha - desataram  a rir.... Entao o   citado professor - vendo o riso dos alunos - nao se abalou com a gozação  e   saiu-se com essa "reliquia":

-   É.... tem gente que ainda  tem  fogão a lenha em casa;  não sabe que já  existe  fogão mais moderno pra usar na cozinha! 

(Notas:  1)  Esclareça-se que, na época, o  fogão a gás ainda era novidade, custava caro e  poucas  familias da cidade possuíam.  2) Para se ver a importância de um fogão a gas naqueles tempos, o 1o. prêmio  de uma vencedora  de  certo Concurso de Beleza, realizado em P. Alegre, foi  um fogão a gas, marca Wallig.  Acreditem se quiserem!)

2)   Em dias de  aulas de ginástica (educação física), os alunos -  ao virem para a escola-  já vinham  vestidos  com  um calção (de cor preto)  debaixo da calça. No local dos exercicios, apenas se tirava a calça e já se estava pronto para fazer os exercicios. Depois das aulas, se colocava de novo a calça e se ia pra casa.  Do mesmo modo, as meninas: já vinham com um calção (tambem de  cor preto) em baixo da saia. Certo dia,  uma aluna, chamada M.  - quando   tirou   a saia pra fazer os exercícios -    viu que tinha esquecido de colocar o calção.  Ficou só de blusa.  Sem nada por baixo!  Nem calção e nem calcinha... As colegas dela começaram então  a rir.  A coitada da aluna,  muito envergonhada,  voltou a colocar a saia a toda pressa e foi  chorando  pra casa!

3)   Depois do final  das aulas do Ginasio Conceição - que encerravam as 17-18  horas -  os alunos do ginásio costumavam  ficar  jogando bola no  terreno  que   havia  entre o  prédio do Grupo Escolar e a rua Cel. Reduzino Pacheco.  Era um terreno muito espaçoso cercado por um   muro que contornava  todo o quarteirão.  Naquele dia, numa das  jogadas, a bola espirrou  pra perto do predio e o Chemale (Antonio Carlos) veio na corrida e   rebateu a bola. Só que a bola subiu, fazendo um arco,  indo  em direção da parede do prédio.  Pressentindo que a bola  ia em direção das janelas e ia quebrar os vidros, o Paulo Ramos (de apelido Paulo Elefante)   gritou: -  CESTA! E não deu outra, a bola explodiu  na janela, quebrando 2 ou 3  vidros. Ouvindo  o barulho,  daqui a pouco, apareceu  a dona Olga -   que era  a  zeladora do predio -    e nos meteu a boca, xingando todo mundo!!!!   Depois disso, pegamos a bola e fomos embora!!!! Acabou a brincadeira! Mais uns vidros  do Grupo que se foram!

 


 Voltar