Voltar    

Página Inserida em Nov/2015   

Memórias  da  CEEE

 

.

          

o


 

Memórias da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) - GRPA

Nota:  Para  relembrar esses fatos, o  Autor contou com  a colaboração de  Jorge Alberto Benitz,  Alexandre Nathan Samberg,  Marcirio Alves da Silva e Ademar Getúlio de Lemos. 

 

1 - Colegas Falecidos:

Em memória de todos os os funcionários falecidos. Estou listando  abaixo apenas os  nomes  de alguns  com os quais convivi no ambiente de trabalho ou tive relacionamento de amizade. 

Neif Melin Pinheiro Gilberto Ramos Androvandi José Carlos Androvandi Milton Terra Oliveira  Leoni Alberto Engel
Frederico Horst Schiller  Nilton Luiz  Abiatti  Silva Olirio José Nascimento Iracy Louzada  Abreu

José Carlos Fagundes

Leônidas Amorim Machado

Luis Osório Flores Cabral

José Etchichurry

João Luiz Ritter

Paulo Becker Bohrer

Nilo Mattos

João Guilherme Teixeira

Ademir Brum

Henrique Naschold

Nereu  Guimaraes Silveira

Arlindo Pereira

   Carlos Alberto Alves Pilla

José Pinheiro Cardoso 

Paulo Roberto Conceição Silva

Manoel Barbosa Ribeiro

Flavio Amaral Formoso

Raul Bonelli

Eduardo Mengue

Odilon Vieira

Leonardo Przbilsky

Ciro Scherer

 

 

 

 


 

2 - Gerência Regional de Porto Alegre (GRPA)

Em março/1973 quando o Autor foi  admitido  na CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica) fazia-se entao um teste para  ingresso. Realmente era um teste bem simples apenas para verificar se o pretendente ao cargo  nao possuia algum problema de ordem psicológica. Comecei a   trabalhar na Gerência Regional de Porto Alegre cuja  sede ficava  no Ed. Força e Luz (onde fica agora o  museu Erico Verisssimo),  na R. dos Andradas (R. da Praia), nas proximidades da R. Gen. Câmara (R. da Ladeira).  Considerando-se  o porte dessa  gerência, e talvez por ser o setor  que servia a capital do estado, na época (1973), haviam dois Gerentes: o Gerente Técnico (Gilberto Ramos Androvandi) e o Gerente Administrativo (Jayme Vieira Fernandes).  A secretária do Gerente Técnico era  a Angélica ?; a secretária do Gerente Administrativo não lembro o nome. 

Nota:  Conforme informado  por Marcirio Alves da Silva, o Gerente Técnico anterior foi José Carlos Androvandi   e o  chefe dos Serviços de Operação (SO) da GRPA  era  Gilberto Ramos Androvandi.  Com a ida de José Carlos para outro Setor da CEEE, o Gilberto assumiu a Gerência Técnica.  Saliente-se que José Carlos e Gilberto são irmãos.

2a - Gerência Técnica: 

Sob o encargo da Gerencia Técnica  havia os Serviços Técnicos, os Serviços de Operação e os Serviços de Medição e Fiscalização.

Os Serviços Tecnicos  se localizava no Ed. Força e Luz, na R. dos Andradas; enquanto os Serviços de Operação e os Serviços de Medição e Fiscalização se localizavam na R. Washington Luiz, na volta do Gasômetro.

2b  -  Serviços Técnicos:

 O chefe era Nereu Guimares Silveira.  Dentro desses Serviços  havia três Seções: Seção Administrativa,  Seção de Transmissão Seção de Distribuição. Os integrantes e atribuições de cada Seção eram:

- Seção Administrativa  (SA) -  O chefe era Valdomiro ?. Entre seus   integrantes estavam  o  Paulo ? (Paulinho) e o Marley  que se ocupavam de serviços básicos  tais como fazer copias xerox, etc.  

- Seção de Transmissão (ST) -   O chefe era Raul Ney   Leão e funcionava no 3o. andar do prédio. Entre seus integrantes  estavam  Claudio Piccioni, Fernando Felizzolla,  Ademar Getulio  Lemos, Paulo Silveira Neto, etc.  A função principal era  fazer estudos e projetos relacionados a expansão e melhoramentos na rede de média tensao (rede primaria)  que operava em 13,2 kV.

Seção de Distribuição (SD) -   O chefe   era Leoni Alberto Engel.  Essa   Seção   era formada por  duas Turmas:  Turma de Projeto de Rede Aérea  e   Turma de Projeto de Rede Subterranea (TPRS)   

 

Os integrantes  e  atribuições de cada Turma eram:

 Turma de Projeto de Rede Aérea (TPRA) -  O chefe era   Vitalio Bondarczuck. Além do Autor, fizeram  parte (em diversas ocasiões) dessa Turma os seguintes:  Gladis Medeiros, Maria Elizabete Farina, Jose Etchichury, Claudio Nunes Pereira, Luiz Carlos Freitas, Francisco Olendski Reis, Irene ?, Margarida Dias, Janete ?, Janice Leão, Edegar Cardeal de Souza, Valter Cardeal de Souza, Jorge Alberto Benitz,  Pedro Vicente Batista, Julio Romeu da Silva,  João Carlos Martins,  Paulo Jesus Oliveira, etc.

 As principais  atribuições da Seção   eram:

 - fazer projetos  de  expansão de redes aéreas  de baixa tensao (rede secundária)   para atender novas cargas  e/ou  fazer melhoramentos  da rede secundária de distribuição.

 -  exames de pedidos de novas ligações (ou aumentos de carga) a serem atendidas pela rede aérea secundária

-   exames  de projetos de postos de transformação  particulares (transformadores instalados em postes, em plataformas ou em câmaras transformadoras)  para verificar  se atendiam aos padrões técnicos da CEEE.

Nota:Por volta de 1980,  Vitalio Bondarczuck  pediu   desligamento  da CEEE para  trabalhar nas Centrais Eletricas do Sul do Brasil (ELETROSUL), tendo seu lugar ocupado por  Maria  Elizabete Farina.

A foto abaixo mostra  um momento de descontração da TPRA  em um churrasco realizado no Parque Saint Hillaire em 08/Dez/1974 (colaboração de Pedro Vicente Baptista): 

Em  cima (da esq. p/dir.): Edegar e  Vera, Margarida, ?, Janete , Irene , Benitz (camisa clara),  Pedro  e   Adib.

Embaixo:  ?, ?,  Edison (e esposa e filha),  Elizabete (e filho), Etchichury (cabeça baixa) (e esposa),  João Carlos  (sem camisa) (e namorada), Gladis (marido e filhos)  e    Julio

 

- Turma de Projeto de Rede Subterrânea (TPRS)-  O chefe era Nilo Matos. Nessa turma trabalhavam  Edison Stefani Notare, ? Brandão, ? Osório, ?  Marocco, Vinfredo Kutter, Elcio ?, etc.

As principais  atribuições dessa Turma   eram:

- exames de  paineis de medidores dos edificios e

-  atendimento de  novas ligações (ou aumentos de carga) de consumidores  localizados na área central da cidade, servidos pela rede subterrânea radial. 

 

Nota:  Havia ainda  a Seção  ou Turma de Cadastro  cujo responsável era Vicente (?)  Rossi. Suas atividades   eram desenhar as obras a serem executadas  e  fazer o cadastro das redes  de distribuição primária e secundaria. Entre os  desenhistas estavam Leonardo Prizibilsky, ? Valente, ? Berg, ? Krombauer, ?  Bueno,  etc.  Entre os que  faziam trabalhos de campo estavam   Claudio Piccioni,  ?  Gonzales (Paraguaio),  ? Martins, Milton ? (fotógrafo),  etc... Creio que  essa Seção estava vinculada diretamente ao chefe dos Serviços Técnicos, pois ela atendia tanto a ST como a SD, mas nao tenho certeza disso. 

 

2c -  Como funcionava o sistema de atendimento de consumidores na Gerência?

Quando era necessário executar alguma atividade tecnica para atender aos pedidos de ligação de consumidores que necessitassem a  execução de obras; exame de projetos de câmaras transformadoras, exame de paineis de medidores de edificios, etc. o procedimento básico era esse: Inicialmente  a  Seção de Expedientes (da Gerência Administrativa) formava  uma pasta para tratar daquele assunto específico. Havia dois tipos principais de pastas: a) Expediente Interno (EI) e b) Processo. Para cada caso,  a citada Seção formava um Expediente Interno ou um Processo. Nessa pasta se colocava todas as informações relacionadas ao assunto em pauta tais como informações tecnicas, projetos, orçamentos, etc.. Essa pasta transitava por todas as seções da Gerencia até ser concluído o assunto que ela tratava. O tempo de tramitação dependia de cada caso. Ao final a pasta era devolvida para a  Seção de Expedientes para fins de arquivamento.

 

2d -  Trabalhos realizados pela TPRA:

- Projetos de redes secundárias:  A elaboração do projeto  de rede aérea   secundária envolvia fazer levantamentos de campo (medindo  distâncias utilizando a trena, posicionando  os postes e transformadores, etc. ). Depois se fazia (no escritório)  os cálculos elétricos;   aprontava-se   um "esboço" do desenho da rede e se calculava  o valor da obra (atraves de um orçamento).  Esse esboço (ou "sketch", como se dizia na época) era depois levado a Turma de Cadastro cujos desenhistas elaboravam  o  desenho definitivo do projeto, indicando na planta as bitolas dos condutores, posição dos postes e transformadores, etc.. 

Depois de  aprovado o projeto - e se houvessem recursos para a realização da obra  -  a pasta  era remetido para a Seção de Serviços Técnicos  (SST).   Dali saíam as turmas de rede (da CEEE ou de empreiteiras contratadas)  para a execução dos serviços. Depois de concluída a obra, o   pessoal da fiscalização da CEEE   ia até o local e  confrontava o projeto  com a sua execução. Aprovados os serviços pela equipe de fiscalização, efetuava-se o pagamento (no caso de empreiteiras) e  dava-se por encerrado o assunto.

- Exame de novas ligações ou de projetos de postos  de transformação particulares:  Até certo limite de carga, estabelecido no Regulamento de Instalações Consumidoras - RIC, o atendimento pela CEEE era feito em baixa tensão. Caso o porte da nova carga a ser ligada ultrapassasse certo valor,  o Regulamento  exigia    que houvesse a  necessidade de  um posto de transformação próprio, dentro da propriedade do consumidor. Essa instalação era projetada,   custeada e passava a pertencer ao consumidor. Nao importava se ele fosse  um consumidor único (indústria, p. ex.) ou um edificio de uso coletivo (residencial ou comercial).  O projeto dessa instalação era realizado por terceiros (engenheiros ou firmas de engenharia) e deveria ser apresentado a CEEE para fins de aprovação. Caso a nova ligação fosse ser atendida pela rede aérea, cabia a TPRA examinar esses projetos. Se o futuro atendimento fosse  feito   pela rede subterrânea, implantada no centro da cidade, então cabia a CEEE projetar e executar a obra, ficando de propriedade  da instalação.

Notas:  1)  O Autor trabalhou  na TPRA entre Mar/1973 e Dez/1976. Entre Jan/1977  e Dez/1979, ainda dentro da Seção de Distribuição o Autor foi deslocado (junto com Francisco O. Reis) para o 4o. andar do mesmo prédio   para  tratar  das    novas  ligações a serem  atendidas  pela (nova) rede subterranea (sistema network ou rede reticulada)  que estava sendo   implantada na área central de Porto Alegre. Nessa sala   se examinava   o porte da nova  carga a ser atendida e a área da edificação. Em certos casos, exigia-se da firma responsavel pela construção do prédio que deixasse reservada no sub-solo (ou no térreo)  um espaço para a CEEE  instalar  um posto de transformação do tipo "spot-network". 

2)   Os serviços de  instalação desse posto de transformação ("spot-network") eram executados  pelo Departamento de Linhas e Redes  (DLR),  pertencente à  Superintendencia de Engenharia de Distribuição (SED) que na época estava  sediada no Ed. Formac, localizado na R. Francisco Leonardo Truda esq. Av. Mauá. 

3)  Nesses postos de transformação ("spot-network") a CEEE instalava, na época,  transformadores especiais (do tipo submersivel)  de 500 ou 1000 kVA (13,2 kV-220/127 V)  para atender o prédio em questão, podendo esse posto ser interligado, se necessário, com a rede reticulada de  baixa tensão (220/127 volts) existente na via pública. 

4)  Na rede pública, os transformadores instalados eram de 500 kVA (13,2 kV - 220/127 V). Ficavam localizados dentro de  uma   câmara transformadora construida de concreto  no sub-solo da via pública (ruas ou calçadas).  Esses  transformadores eram   do tipo submersivel, ou seja,  dotados internamente de um sistema de  vedação especial que os protegia   contra a entrada de água e impurezas.   A   câmara transformadora (subterrânea)  possuia  também  um sistema de bombeamento de água que  retirava  o liquido e impurezas  de seu interior e   um sistema de refrigeração (ventiladores) que retiravam o calor gerado pelo funcionamento dos equipamentos. Esse ar quente, ejetado de dentro da câmara, acabava  saindo   via tubulação e janelas gradeadas  para o exterior (calçada ou rua).

Nota:   Para maiores detalhes da rede subterrânea (sistema reticulado) que foi implantada em  Porto Alegre na década de 1970,  há  o  excelente  trabalho  acadêmico sobre  o assunto:

- Adequação do Sistema Subterrâneo de Porto Alegre,  de Janaina da Silva dos Santos, (2010), disponivel no Site da UFRGS.

....para acessar  ..... >    http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/33044 

 

 >       Serv. de Operação  e Serv. de Medição e Fiscalização  (R. Washington Luiz)


Voltar