Voltar

 

História  da  Energia Elétrica   -  RS

 


 

Energia Elétrica em Porto Alegre (RS) 

01/Dez/1887

Começa a prestar serviço público  a usina elétrica   da "Sociedade Fiat Lux", localizada    na esquina das  ruas Sete de Setembro e João Manoel após  seis  meses de experimentos.  A usina era constituída  por   uma máquina a vapor  semi-fixa (demi fixe)  de  50  cv (cavalo-vapor)   de fabricação inglesa.  Essa máquina   acionava 3 dínamos (geradores de corrente contínua) de fabricação alemã, podendo  fornecer  energia para acender  800 lâmpadas de  10 "velas" do "sistema Edison".   Dessa usina  partiam   "2  linhas"  (2 circuitos),    uma   indo até  a  Praça Conde  d'Eu   e  a  outra  até  o  Hotel  Lagache.  Maiores e mais amplos  detalhes dessa usina  estão na referência citada ( 4).  Ver abaixo foto da localização da usina (prédio com chaminé).  

Notas A:    1) Porto Alegre foi a 1a. capital provincial  a contar com os serviços  públicos  de energia elétrica.  2)  Como a máquina instalada  era semi-fixa   ficou uma dúvida  se era o que conhecemos como "locomóvel" (ver fotos mais embaixo)  ou  não.   Provavelmente se usava lenha ou cavacos de madeira como combustível nessa máquina, pois não havia outro combustível naquela época para ser  usado em máquinas dessa natureza.

Notas B:  3)  Lâmpada   do "sistema Edison"  deve (?)  ser   a  nossa   conhecida  lâmpada  incandescente  ou  lâmpada  com   filamento.  4)  A  "vela"  é  uma antiga   unidade  de medida  que se usava  para  quantificar  o brilho das  lâmpadas;  atualmente  se usa  a unidade   "watt"  (W).  5)  Não foi encontrado na Internet nenhum  artigo que tratasse  de lâmpadas eletricas   de 10 "velas"; daí não se poder fazer a correlação de sua luminosidade com a das lâmpadas incandescentes utilizadas atualmente.

Notas C:   6)  A Praça Conde d'Eu,  teve seu nome  alterado  para  praça  15 de Novembro  em 11/Dez/1889. (13)  7) O  Hotel Lagache,  em 1887,    ficava  na  R.  Gen. Silva Tavares, em frente ao no. 13 dessa rua (cfe.  jornal  A Federação de 1884).  8)   Em  02/Mar/1893, essa rua    passou a se chamar R.  Mal. Floriano Peixoto. (13)   Na Mal. Floriano, o Hotel Lagache    ficava  no  no. 124. (cfe.  jornal  A Federação de 1894), ou seja, no trecho entre as atuais  ruas  dos Andradas e Otávio Rocha.  9)  A foto abaixo que mostra o prédio da usina  foi  publicada em Zero Hora, edição de 23/Mai/2012 (Almanaque Gaúcho)

                     A foto mostra a chaminé da usina na esquina das ruas  Sete de Setembro e João Manoel. Nota-se da foto (anos 1920) que ainda não havia as ruas Siqueira Campos e Mauá.   A rua mostrada na foto em 1o. plano  é um  trecho  da   rua  dos Andradas (rua da Praia).

 

Locomóvel  (Fotos do  Site do DEMEI)

1891

A usina elétrica  citada acima   passa a contar com um " gerador térmico" de  160 kW.  Essa usina foi novamente ampliada em 1899. (4)         

1906

Criada a Companhia  Força e Luz  (CFL)  com sede na R.  dos Andradas, nas proximidades da  R.  Gen.  Câmara (R. da Ladeira).

Começa a ser construída uma nova usina eletrica de propriedade da Companhia  Força e Luz (CFL). Essa usina era  localizada  na rua Voluntários da Pátria, nas proximidades da rua da Conceição e teve por finalidade inicial   fornecer energia para  suprir os  bondes elétricos. Possuia 3 unidades  geradoras de 300 kW  de corrente contínua cada uma.    Para maiores dados dessa usina e dos bondes elétricos ver  (4).

Criado o Sindicato dos Trabalhadores da CFL.   Ainda em 1906, o sindicato  realiza a 1a. greve geral da categoria.  Outras greves gerais aconteceriam em 1917 e 1919. (4)

Mar/1908

São realizadas as primeiras experiências com bondes elétricos na cidade, supridos pela usina da CFL. (4) . 

Nota: Portanto, conclui-se que a nova usina elétrica (da CFL), iniciada em 1906,   já estava em operação. 

28/Mar/1908

Entra em operação a 1a. linha de bondes elétricos suprida pela usina da CFL (na rua Voluntários da Pátria).  (4)

1912

A usina da CFL (na R. Voluntários  da Pátria) passa a atender tambem consumidores industriais formado por industrias de pequeno e médio porte. É a 1a. usina de Porto Alegre que atende esse tipo de consumidor. (4)

1913

A usina eletrica  da Fiat Lux (R.  Sete de Setembro)    passa a contar com uma capacidade instalada de 600 kW. (4).  

Abr/1914

A usina  da  Fiat Lux (R.  Sete de Setembro)   passa a contar com uma nova unidade geradora constituída de   uma "moderna turbina"  de 1000 cv  que acionava 2 geradores de 350 kW  em  corrente continua, fornecendo energia elétrica na tensão  de 220 volts. (4).  

A usina da CFL (R. Voluntários  da Pátria) passa a contar com nova unidade geradora de 400 kW, perfazendo agora  um total de potência instalada de 1300 kW. (4)

1916

A usina da CFL (R. Voluntários  da Pátria)  é ampliada  e  possui agora um potência total instalada de 2000 kW. (4)

1920

Começa a operar a Usina Mista.

Nota: Não se dispõe de maiores dados desse empreendimento. 

1923

É fundada a Companhia  de Energia Elétrica Rio-Grandense (CEERG).  Essa empresa incorporou os ativos das empresas "Fiat Lux", da "Usina Municipal"  e da "Força e Luz".  Segundo (4)  a sede da CEERG ficava no Rio de Janeiro.

Ago/1924 

É fundada  a  Companhia Rio-Grandende de Usinas Elétricas. A Ata da Assembléia Geral foi  promulgada na edição do jornal "A Federação"  em 1o. de setembro. Entre os acionistas dessa empresa estavam Juan Ganzo, seu filho Edison Ganzo, Evaristo Bicca Quintana, Viterbo de Carvalho, Victor Coussirat de Araújo e  o engo. Oscar Germano Pedreira .  (12)

1925

A CEERG dá publicidade que pretende construir uma usina de grande porte (20.000 kW) em Porto Alegre,  utlizando carvão mineral das minas de São Jerônimo como combustível. (4)

Notas:  1)  Essa seria a futura  Usina do Gasômetro, localizada na ponta do Rio Guaíba, no extremo da rua dos Andradas.  2)  Essa posição era estratégica, pois permitiria receber o carvão mineral por via fluvial  desde as minas.  Ver 1928.

1927  

Inicio das atividades do grupo norte-americano   American Foreign Power (AMFORP)  no Brasil que passa a controlar  algumas empresas  de eletricidade do país, incluindo a Companhia  de Energia Elétrica Rio-Grandense (CEERG) que atendia a capital gaúcha e  imediações.

Nota:   Segundo (4),   o Anuário Estatístico desse ano   registrava o controle pela iniciativa privada de 70% do potencial gerador global no estado, sendo que 75% dos investimentos provinham de capital nacional.  Desses,   30%  eram  investimentos  em    47   usinas  localizadas   no interior do estado e   70%  eram investimentos   nas duas empresas da Capital.  No   estado  havia  86 usinas elétricas,  sendo  que  35 eram  das  prefeituras municipais, 1  do governo   estadual e outra (em Pelotas)  de capital estrangeiro.  As demais   eram de capital privado nacional.  

1928  

A CEERG  começa a implantar   rede elétrica de  distribuição subterrânea na cidade de  Porto Alegre.    

11/Nov/1928

Começa a operar   a  usina térmica  do Gasômetro,  utilizando  carvão mineral como combustível.   

Notas:  1) Em 1937, foi colocada a chaminé, depois de reclamações da população contra a fuligem e cinzas lançadas  pela usina. 2) A usina funcionou até 13/Ago/1974 quando foi desativada. 3) Em 1983 o prédio  da usina foi tombado pelo patrimônio histórico; em 1989, a Prefeitura  destinou o prédio para ser o Espaço Cultural do Trabalho (ECT) e em 1991,  esse centro de cultura   foi  aberto ao público. 4)  A foto abaixo  da esq. foi tirada do Site da  Wikipedia e a  foto da dir. obtida de um site da UFRGS.  5)   Na foto da dir. o prédio claro atrás da chaminé  e o terreno murado junto ao rio é o antigo presídio de Porto Alegre, conhecido como "Casa de Correção" que  funcionou como penitenciária  de 1855 até  ~ 1960 quando  foi demolido.

Usina do Gasômetro (desativada)

Usina em plena atividade

 

1949  

A CEEE implanta  a 1a.  das chamadas  Usinas  de Emergência com capacidade de  7.000 kW para proporcionar  melhores condições  de   atendimento da  capital e  do vizinho município de Canoas   que eram atendidos pela CEERG.   Certamente utilizava  oleo como combustível de suas máquinas. 

Nota:    Essa usina ficava  localizada  na  atual   rua Com. Manoel Pereira, nas  proximidades da  antiga  Loja  Mesbla.  

1953 

Para oferecer melhor suprimento a CEERG, a CEEE implanta a 1a. subestação da cidade, no bairro IAPI.     

Nota:    Essa subestação  ficava localizada na rua Andaraí, proximidades da Av. Plinio Brasil Milano, onde se localiza  atualmente a subestação  Porto Alegre  1  (PAL 1). 

1968

Entra em operação  a usina termoelétrica  da NUTEPA (sigla de  Nova Usina Termelétrica de Porto Alegre) que utiliza oleo diesel  tipo A1 (OCA1) como combustível.  Localizada entre o  rio Gravataí  e  a  (atual)  rodovia  Mal. Osório (Free-Way) , a potência instalada inicial dessa usina era de 24 MW (3 unidades de 8 MW). 

Notas:  1) Operou em regime contínuo até 1979; a partir daí só  passou a operar    em situações de emergência quando havia necessidade dela no sistema.  2)  No mesmo terreno onde essa  usina foi instalada,  construiu-se  mais adiante (1978)  a subestação Porto Alegre 9 (PAL 9).   3)  Maiores detalhes sobre a história dessa usina ver  Site da ELETROBRAS-CGTEE. 3) A foto abaixo foi obtida do Site citado.

 

08/Set/1971

É fundada na capital gaúcha   a Federação das Cooperativas de Energia, Telefonia e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul (FECOERGS).

13/Ago/1974

A usina  térmoelétrica  do Gasômetro, pertencente a CEEE,   que  utilizava carvão mineral  como combustível,  deixa de funcionar. Ver 11/Nov/1928. 

1975

Entra em operação a subestação  Porto Alegre 6 (PAL 6)   da  CEEE, no Morro Santana, bairro Agronomia, operando nas  tensões de 230/69/13,8 kV.

Notas: As obras duraram de 1970 a 1975  (Fonte: Site da Enerconsult S/A). 

 1978

Entra em operação   a  subestação  Porto Alegre 9 (PAL 9), da CEEE, no bairro Navegantes,  operando nas  tensões de 230/69/13,8 kV.

Notas: As obras de construção  dessa subestação duraram  de 1974 a 1978. (Fonte: Site da Enerconsult S/A). 

13/Set/2000

União firma o  Contrato de Concessão nº  067/2000  com o Companhia  de Geração Térmica de  Energia Elétrica  -  CGTE,    com sede na capital gaúcha,   permitindo que  essa empresa   explore  o potencial  de energia térmica  efetuado pelas seguintes usinas:

1)  Central  Geradora Presidente Medici (Fases A e B),   com potência instalada de 446 MW  que  fica localizada no município de Candiota; e

2)  Central Geradora  NUTEPA, com potência instalada de 24  MW  que  fica localizada no município de Porto Alegre-RS,  e

3) Central Geradora  São Jerônimo, com potência instalada de 20  MW  que  fica localizada no município de São Jerônimo.  

 (Fonte: Site da ANEEL) 

05/Jun/2014

É   inaugurada a subestação  SE  Menino Deus, construída pela  CEEE-D.  Essa obra custou  cerca de   35 milhões  de reais, incluindo os custos com a implantação da  linha de transmissao de 69 kV que abastece a subestação e as   saídas de alimentadores.  Com potencia instalada de 50  MVA, 69/13,8  kV,  a obra vai beneficiar  cerca de 150 mil  moradores  de cinco bairros da cidade.  Essa obra fez parte  do conjunto de obras programadas para dotar a capital gaúcha   de melhor infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014.

Nota: Essa obra foi financiada pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e AFD (Agencia Francesa de Desenvolvimento). 

 


Referências:  

Livros: 

(11)  Energia e Desenvolvimento - 70 Anos  da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL),  (1982)

(12)  Rádio  no Rio Grande do Sul  (Anos 20, 30 e 40; dos Pioneiros às Emissoras Comerciais), de  Luiz Artur Ferraretto  (2002)

(13)  Porto Alegre - Guia Histórico, de  Sergio da Costa Franco  (1992)

Internet:  

1)  Sites   da  ELETROBRAS, ELETROSUL, SEMC,  ANEEL, AGERGS, FECOERGS,  SENERGISUL, Concessionárias  de Energia Elétrica, Cooperativas de Eletrificação Rural, etc.

2)  História do  Grupo  CEEE  (no Site da CEEE

3)  As Associações Setoriais e um Passeio pela História da Energia Elétrica no Brasil, de Luiz Fernando Leone Vianna

4)  Participação da Iniciativa Privada  Nacional no Setor Elétrico Gaúcho  – Uma Perspectiva Histórica das Maiores Empresas (1887-1928),  de Gunter  Axt  (História em  Revista, V 4, Pelotas, Dez/1998)    

                                     >   http://ich.ufpel.edu.br/ndh/downloads/Gunter_Axt_Volume_04.pdf

4a.)  Panorama da Participação da Iniciativa Privada Nacional no Setor Elétrico do Interior Gaúcho (1889-1947), de Gunter Axt (Revista Memória em Rede, Pelotas, V 2, N. 7, Jul-Dez/2012)

                                      >    http://www.ufpel.edu.br/ich/memoriaemrede/beta-02-01/index.php/memoriaemrede/article/view/119

4b.)  A Formação da Empresa Pública no Setor Elétrico Gaúcho, de Gunter Axt   (Anos 90, Porto Alegre,  N. 4, Dez/1995)

                                      >  http://seer.ufrgs.br/index.php/anos90/article/viewFile/6156/3650

5) Site do CanalEnergia

 


Voltar