Voltar  

Página Inserida em Jan/2018   

Página Pessoal

 

          


 

Fatos Pessoais e Intrigantes Acontecidos (sem explicação racional):

Nota: Nesta Página vou tratar de fatos acontecidos comigo em que  não  pude encontrar  uma boa explicação dentro do conhecimento científico atual.

 

1 -   O caso  do funcionário da OI (empresa de telefonia)

Em novembro  de 2017  fui numa loja franqueada  da OI, em  Tramandai, litoral gaucho, localizada na Av. Fernandes Bastos, bem no centro da cidade. Lá fui atendido por um rapaz que se identicou como Alisson. Eu achei o nome estranho, pois não conhecia ninguem com esse nome.   Ele forneceu um  no. de telefone (da loja) para futuros contatos em caso  de necessidade.    Só que no papel (com o no. de telefone da loja), ele não escreveu o seu nome (Alisson).  Cerca  de de dois dias depois, tive uma dúvida e decidi ligar  para a loja.  Peguei o papel com o no. do telefone da loja e tentei  me  lembrar o nome do funcionario. E o nome que  me veio a  cabeça foi Iago,  um nome estranho pra mim.  Antes de telefonar pra loja eu  escrevi  Iago no papel que o Alisson havia me dado pra não esquecer mais!

Ao ligar pra loja, uma funcionária me atendeu e eu pedi para falar com o Iago.  Ela me respondeu que nao havia ninguem com esse nome na loja. Ela me perguntou: "Não é Alisson, é o unico homem aqui?" Aí me dei conta  do nome certo da pessoa que tinha me atendido e pedi  pra falar com ele (Alisson) . Falei com ele, expliquei o caso   e ele   respondeu as minhas perguntas. No dia seguinte, decidi ir  a loja  pra falar pessoalmente com o Alisson. Em nossa conversa,   ele me disse que o que eu  queria  só poderia ser resolvido na central da OI em Porto Alegre.   Como eu viria a Porto Alegre nos dias seguintes, decidi esperar pra ir na  central  da OI que fica na Av. Salgado Filho, bem no centro de Porto Alegre.

Dias depois, ao chegar a central da OI, em Porto Alegre,  como de praxe, recebi uma senha para ser chamado. Havia no local uns 7-10 atendentes.  Ao chegar a minha vez,  fui chamado e  me dirigi a uma mesa e um rapaz me atendeu. Ao perguntar o seu nome, ele me disse que era Iago. Eu estranhei esse nome e me lembrei do acontecido dias antes em Tramandaí! Até falei do caso estranho pra ele, mas ele nao deu  a devida atenção; talvez por estar preocupado em me atender. 

Aí o fato  me encucou: Eram dois nomes estranhos pra mim, Alisson e Iago.  Quando eu fui na central da OI (em Porto Alegre) eu poderia ter sido atendido por qualquer funcionario, tinha uns 7-10 atendentes ali, mas justamente eu fui atendido pelo atendente  Iago, um nome que me veio a cabeça dias antes em outra cidade (Tramandaí).   O que tinha se passado; achei muito estranho?

Uma semana depois precisei retornar a central da OI para dirimir uma  dúvida.  Aí recebi a senha no. 20  e fiquei esperando que algum atendente me chamasse.  Olhei pra mesa do Iago e vi que ele  estava atendendo outra  pessoa. Eu pensei: hoje vou ser atendido por outra pessoa, nao vai ser pelo Iago. Minutos depois  notei que o Iago liberou-se da pessoa que  estava atendendo e foi fazer outras coisas, tirar cópias de documentos, fazer anotações, etc.. Minutos se passaram e ninguem me chamava.  Tal qual nao nao foi minha surpresa quando o Iago - depois de resolver seus problemas -   voltou pra sua mesa e chamou a senha no. 20, logo a minha senha! Fui atendido pelo Iago de novo!!!

Resumindo  o caso... 

1  -  Dias antes  de conhecer o Iago, atendente da central  da  OI em Porto Alegre,  esse estranho nome de pessoa  me veio a cabeça em Tramandaí, uma praia do litoral, ao fazer confusão com o nome de outro atendente da OI  (Alisson) que trabalhava na loja do litoral.

2 -  Em Porto Alegre, eu poderia ter sido atendido por qualquer outro atendente, pois havia  uns 7-10 atendentes na central da OI. Se eu  tivesse  sido atendido  por outro atendente (que não o Iago) eu   nunca teria sabido que o nome lembrado em Tramandaí  (Iago) era atendente da OI naquela loja.  E esse fato teria passado desapercebido e eu nao estaria aqui comentando.

3 - Foi tudo isso uma mera coincidência? Ou a mente humana  esconde mistérios que nao se consegue explicar  dentro do plano puramente científico?

(CONTINUA)  


Voltar