Voltar

                                            

                 Memória da Astronomia Brasileira   

               

 


 

COMETA DE HALLEY (1985-1986)

 

-  Cronologia das Observações

Aqui são reportadas as observações realizadas por observadores brasileiros  não-profissionais (amadores) do cometa de Halley em sua passagem nas proximidades do Sol no biênio 1985-1986.  Alerte-se que o maior brilho do cometa era esperado para depois da passagem do cometa pelo Periélio  o que  aconteceria em Fev/1986, mas o cometa já começou a ser procurado  e depois  visualizado nos últimos meses de 1985, por já estar brilhante o  suficiente para  ser observado por instrumentos óticos (binóculos e telescópios) utilizados por amadores.  As observações continuaram ao longo de  1986, depois da passagem pelo Periélio. Ressalte-se que neste aparição,  o cometa no Perielio  ficou  em Conjunção  com o  Sol o que dificultou seu melhor acompanhamento.

Notas:    1) Todas as estimativas de magnitudes  de  cometas aqui reportadas foram  feitas pelo "Método de Brobonikoff", exceto quando ressaltado em contrário. 2) O registro de observações das  chuvas de meteoros da Etas-Aquáridas e Oriônidas que estao   fisicamente relacionadas ao cometa de Halley tambem fazem parte desta Cronologia.  3) Para ajustar todas as observações ao mesmo fuso horário, todas os  instantes de observação estão fornecidos em TU (tempo Universal).  4) Exceto quando afirmado em contrário, as observações registradas aqui  estao relacionadas nas Refs. (1) e (2) ou em ambas, trabalhos de autoria de Alexandre Amorim, de Florianópolis (SC). . Portanto, para maiores informações das observações realizadas, deve-se recorrer a essas duas fontes. 5)  As observações de  Luiz Augusto L. da Silva, reportadas como tendo realizadas de Porto Alegre, devem (?)  ter sido realizadas no município de Imbé, no litoral gaúcho, onde ele   tinha casa e  onde podia desfrutar de  um céu mais escuro para fazer as observações.

Preâmbulo:

A chegada do Cometa de Halley prevista para acontecer em 1985/1986  foi aguardada com ansiedade desde a segunda metade  da década de 1970 tanto pelos  astrônomos profissionais, pelos  não-profissionais (amadores) e pelo  público interessado em assuntos dessa natureza. Houve um certo clamor popular sobre a chegada do cometa,  embora as predições de que o cometa  fosse ser um espetáculo celeste  não fossem as mais promissoras visto que no momento do Periélio (Fev/1986) o cometa estaria em Conjunção com o  Sol, dificultando a observação.  Mas enfim, seria o  a 1a. vez que o mais famoso  dos cometas seria melhor observado visto que já estávamos em plena  Era Espacial, iniciada em 1957.  Lembra-se que a última aparição do cometa de Halley tinha acontecido  em 1910 quando então a Astronomia se resumia a fazer observações através de instrumentos óticos, ainda sem a ajuda  de instrumentação eletrônica.  De 1930 para cá, com o advento da Radioastronomia,  tudo tinha mudado e mudado radicalmente.

Para comemorar a passagem do "Halley", dezenas de   nações  passaram a emitir  selos "astronômicos/astronáuticos" alusivos a este  acontecimento.  Um novo tema surgiu, o da Filatelia Astronômica  O  Japão, a União  União Soviética e  os paises europeus através da Agencia Espacial Europeia (ESA, sigla em inglês) se prepararam para mandar sondas espaciais para inspecionar o cometa mais de perto. Dessas sondas, a que mais se aproximou do cometa e  teve maior sucesso, fazendo os melhores registros fotográficos e outras medições,  foi a sonda Giotto, enviada pela  ESA. 

A agência espacial norte-americana (NASA) havia lançado um novo projeto poucos anos antes  - o   Ônibus Espacial  (Space Suttle)   em  1981 -  para levar (e trazer)  astronautas  a centenas de quilômetros acima da superfície terrestre. Além de possibilitar  o aprimoramento da  observações astronômicas, o  veículo serviria  para lançar o Telescopio Espacial Hubble (HST, sigla em inglês) o que ocorreu em  1990; colocar novos  satélites em orbitas terrestres;  enviar    sondas espaciais para inspecionar  outros planetas  e  participar ativamente  na construção da Estação Espacial  Internacional (ISS, sigla em inglês).  Até 2011 quando fez  sua última viagem,  foram construidos 6 veiculos desse tipo. Das  135 missoes realizadas, duas  resultaram em catástrofes com a perda de vidas de astronautas e de civis: a de 1986 com o "Challenger" e a de  2003 com o "Columbia".  Alguns chegaram a afirmar  que o Challenger foi enviado "às pressas" em Jan/1986 para poder ainda observar o cometa Halley e que esse fato  tenha contribuído para a tragédia. Será ?  

A 1a. imagem  do Cometa de Halley foi conseguida em Out/1982  (3,5  anos antes da sua aproximação do Sol)  por astrônomos do  Observatório  do Monte Palomar atraves de uma câmera eletrônica (CCD). Na ocasião, o cometa estava ainda a  12   unidades-astronômicas (aprox. 1,8 bilhões de quilômetros)  do Sol,  viajando entre as órbitas de Saturno e Urano.  A magnitude do cometa na ocasião era da ordem de 24! 

Como preparativos  para a observação do "Halley",  foi incentivada a observação - por parte dos amadores-  das chuvas de meteoros das Eta-Aquáridas (cujo  pico é  no inicio de Maio) e da Oriônidas (com pico em meados de Outubro) , porque   se admitia   que eram os destroços deixados pelo cometa  em sua passagens anteriores que ocasionavam esse fenômeno atmosférico (chuvas de meteoros).  Previa-se   que essas duas "chuvas" iriam aumentar de intensidade à medida que o "Halley" se aproximasse da Terra. Somente   observações  poderiam  (ou não) comprovar isso!  Além disso,  outros cometas que  fizeram suas aparições nessa época tais como o "Iras-Araki-Alcock" (em 1983); o  "Hartley-Good" (em 1985) e vários outros  também foram alvo de  atenção por parte da comunidade astronômica.

Para  orientar e padronizar as atividades e as observações dos  não-profissionais (amadores ou aficionados), foi elaborado pela NASA e JPL,  um Manual de Observação do Cometa Halley,  intitulado   International Halley Watch (IWH) .  Coordenado ou organizado por   Stephen Edberg, esse Manual foi  traduzido para o espanhol por Ignacio Ferrin,  da Universidade los Andes, de Merida- Venezuela e presidente da Liga Ibero-Americana de Astronomia (LIADA) com sede na mesma cidade.  De fácil compreensão, esse Manual foi extremante valioso para a  observação do Cometa. Em síntese, os amadores receberam por este Manual todas as  informações julgadas necessárias.Ressalto que Ignacio Ferrin foi incansável no trabalho junto aos amadores para que esses pudessem desfrutar das melhores condições para observar o cometa. A Ignacio Ferrin  o reconhecimento  do Autor!

 

1 - Observações Realizadas em 1985

     ?/Mai/1985

O jornal Zero Hora, de Porto Alegre (RS),    traz   reportagem   sobre  a chuva de meteoros   das   Eta-Aquáridas,  fenômeno  atmosférico  relacionado ao cometa Halley  e  que estava   sendo  acompanhado  por observadores   da   Liga Ibero-Americana de Astronomia (LIADA), segundo informações prestadas    pelo representante  local da entidade (Carlos A. Adib).  Notas: 1)  Numa dessas observações realizada na localidade de  Matias (no interior de Guaíba)  foi tomada a foto abaixo em que aparecem (da esq. para a dir.): Onofre Dalávia, Luis Antônio Machado, Clarice Azevedo,  Gilberto K.  Renner (agachado), Alceu Lopes e Alexandre Bueno. (foto cedida por Alexandre Bueno).  2)  Os citados observadores tambem faziam parte da SARG (Sociedade Astronômica Rio-Grandense) e UBA (União Brasileira de Astronomia).

  01-05/Mai/1985

Os  observadores  da  União Brasileira de Astronomia  (UBA)    Darlan Morais, Luiz Augusto da Silva, Luis Antonio  Machado e Clarice M. Azevedo,  realizam observações da chuva de meteoros das Eta-Aquáridas.   Nota:   Maiores  detalhes  dessa observação   estão   no   boletim   Informativo Astronômico  (Vol. 6,  No. 1)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA). 

 

  17/Out/1985

Nessa data, foi  registrada a 1a. observação do cometa em território brasileiro. Isso foi feito pelos observadores do Clube Estudantil de Astronomia (CEA), de Recife (PE).  Conforme Informativo Astronômico  (Vol. 5,  No. 4; pg. 13)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA), as 05h20min (TU)  o cometa foi observado pelos membros  do clube  Juraci Amorim, Ricardo J. Amorim, Audemario e  Ricardo Luis. Foi utilizado um telescopio refletros de 25 cm de abertura,  F/6, ocular de 20mm e um "nebular fliter NP-3". Segundo (1), a mag. do cometa foi estimada em 9,5!  

  18/Out/1985

O mesmo grupo de observadores (citados acima)  do Clube Estudantil de Astronomia (CEA), de Recife (PE) voltou. a visualizar o cometa atraves do mesmo instrumento as 04h20min (TU).  No  Informativo Astronômico  (Vol. 5,  No. 4; pg. 13)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA) diz-se que o cometa foi observado pelo grupo  do CEA  entre   04h20min e 05h20min  (TU)  . Nessa ocasiao o brilho do cometa foi comparado com o brilho da Nebulosa do Caranguejo (M1), da constelação de Andromeda, porem o  cometa era mais débil  do que  M1 (mag. 8,4). As condições atmosfericas (cirros,  etc.) estavam piores do que na noite anterior. Os registros dessas noite foram enviados a sede da UBA pelo inesquecivel Pe. Jorge Pohlman! Ver "Astrônomos Brasileiros" aqui neste Site!

 De 19/Out a 05/Nov/1985

Nao há registros do cometa ter sido observado neste periodo. Nota: Dia 24/Out, pico da chuva de meteoros das Orionidas, associada ao cometa. (6)

  06/Nov/1985

Em  Florianopolis (SC),  Avelino Alves,  reportou  ter observado o cometa por volta da meia-noite (de 5 para 6 de Nov.). O instrumento utilizado foi um  telescopio  refletor 11,5  cm.  A mag. estimada do cometa foi 8,5, pelo método de Brobonikoff.  Ver ref. (1)

Em  Porto Alegre (RS), num local  rural   chamado de Parque Estadual de Itapoã,  a 60 km  da cidade, membros da União Brasileira de Astronomia  (UBA)  reportaram ter observado o cometa. Os observadores foram:  Luiz Augusto Leitao da Silva, Gilberto Klar Renner,  Luis Antonio Silva Machado e Marcelo Didonet Nery. Foi  utilizado  um binoculos 20x50 e  um  telescopio  refletor tipo newtoniano  com abertura de 20 cm durante a observação.   Conforme o boletim  Informativo Astronômico  (Vol. 5,  No. 4; pgs. 13-14)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA)    verifica-se que o cometa foi  avistado pela 1a. vez  com  um binoculos 20x50 perto da estrela "Iota Tauri"  (mag. 4,6) precisamente às 01h30min (TU).   Notas:   1) Esta observação foi tambem reportada na  revista UNIVERSO (edição Jan-Mar/1986, Vol 6, No. 22), da  Liga Ibero-Americana de Astronomia (LIADA).  2)  Segundo o  Stellarium, a estrela Iota Tau naquele instante  estava a 13 graus de altura. Ver imagem abaixo, à dir.   3) Segundo o boletim citado da UBA, utilizando-se do mesmo binoculos; Luiz Augusto estimou a mag. do cometa em 8,5 às  03h30min (TU). 4) Essa observação está reportada na Ref. (1) .

Comentarios:  O jornal Zero Hora (edição de 07/Nov/1985), de Porto Alegre,   traz   reportagem  na pag.  31   sobre  essa  observação do cometa,  conforme depoimento dos   observadores  citados    A reportagem  cita   que as pessoas citadas  se deslocaram    até o Parque Estadual de Itapoã  de Porto Alegre  para encontrar melhores condições  de observar  o cometa e tiveram pleno sucesso na noite de  05/06- Novv.  Notas: 1)  Abaixo a ilustração que saiu no jornal, mostrando os observadores do cometa  e o telescópio utilizado. A foto foi feita  na frente do prédio da Zero Hora, localizado na esq. das Av. Ipiranga e Erico Veríssimo. Em ordem da esq. p/ a direita: Luis Antonio, Marcelo, Gilberto e Luiz Augusto. (3)   2)  A imagem a dir. (do Stellarium) mostra a posição da estrela Iota Tauri em relação ao horizonte nordeste.  Segundo Stellarium,  essa estrela estava a 13 graus de altura na ocasião. 

 
     


 06-07/Nov/1985

Em  Florianopolis (SC),  Avelino Alves,  reportou  ter observado  o cometa. Utilizando  um  telescopio  refletor de 20 cm  de abertura construido por ele,  Avelino  estimou a mag. do cometa em  8,4 e 8,5 nos dias 06 e 07.  Maiores detalhes, ver ref (1). Nota:  Outros  detalhes da  observação  de Avelino estao   no   boletim   Informativo Astronômico  (Vol. 5,  No. 4; pg. 14)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA) .  Segundo esse boletim, o Jornal de Santa Catarina, de Florianiopolis (SC), em sua edição de 09/Nov,  informou que Avelino Alves vem observando o cometa Halley  desde o dia 07.

07/Nov/1985

Em  Florianopolis (SC),  Avelino Alves,  reportou  ter observado o cometa por volta da meia-noite. O instrumento utilizado foi um  telescopio  refletor de 11,5 cm.  A mag. estimada do cometa foi 8,5. 

08/Nov/1985

Nao há registros do cometa ter sido observado neste dia.

09/Nov/1985

Em Piracicaba (SP), Ademir Luis Xavuier Jr. informa ter visualizado o cometas as 4h20min (TU). Utilizou um binoculos 7x50 e um telecopio refletor de 12 cm de abertura Nota:  Outros  detalhes da  observação  de Ademir  estao   no   boletim   Informativo Astronômico  (Vol. 5,  No. 4; pg. 15)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA) .

Em São Francisco de Paula  (MG), Vicente Ferreira de Assis Neto  observou o cometa.  Utilizando um telescopio refletor de 9,6 cm,   estimou a a mag. do cometa em 7,3.

10, 11 e 12/Nov/1985

Nao há registros do cometa ter sido observado nestes tres dias. Nota:  Dia 10 o cometa alcança a maxima declinação norte (+22º14'). (6)

 13/Nov/1985No Rio de Janeiro (RJ), Lucius S. Ribeiro observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator de 6 cm,  estimou  a mag. do cometa  em 8,8.

Em Sao Paulo (SP), Renato Levai observou o cometa. Utilizando  um telescopio refletor de 11,4 cm, estimou a mag. do cometa  em 8,1.

 14/Nov/1985

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Austo L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  um binoculos 20x50,  estimou  a mag. do cometa em 7,9.

 15/Nov/1985

Em Campinas (SP), J. Aguiar   observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator de 10 cm , estimou  a mag. do cometa em 7,3.

Em Sao Paulo (SP), Romualdo Lourençon observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator de 6 cm, estimou  a mag. do cometa em 8,5.

 16/Nov/1985

Em Canoas (RS), Onofre Dacio Dalava ,  observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator de 6 cm,  estimou  a mag. do cometa em 7,9.

Em Sao Paulo (SP), Romualdo Lourençon observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator de 6 cm, estimou  a mag. do cometa em 8,4.

 17/Nov/1985

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Austo L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  um binoculos 20x50,  estimou  a mag. do cometa em 7,6.

Em  Jaguariuna (SP), Claudio Brasil  observou o cometa. Utilizando  um telecopio refletor de 11,4 cm,   estimou  a mag. do cometa em 7,7.

 18/Nov/1985

Em Sao Paulo (SP), Romualdo Lourençon observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator de 6 cm, estimou  a mag. do cometa em 8,7. Nota: Dia 18  o cometa estava em Oposição. (6)

 De 19 a 28/Nov/1985

Nao há registros do cometa ter sido observado neste periodo.

Notas: 1)  Dia 21 a Terra  cruzou o  plano orbital do cometa. 2)  Dia 27 ocorreu a mínima distancia (0,62 UA ou ~90 milhões de quilometros) do cometa á Terra, antes do Periélio.   3)  Dia 28 o cometa cruzou a órbita de Marte. (6)

 29/Nov/1985

Em Porto Alegre,  da area central da cidade, é  observado  o cometa pelos seguintes integrantes da União Brasileira de Astronomia  (UBA): Carlos A. Adib, Luis Antonio S. Machado e Clarice Azevedo,  por volta das 00h00min  (TU), O cometa foi visto inicialmente com um binoculos 10x50 e depois com um telescopio refrator de 76 mm  (dist. focal de 900 mm). O cometa estava  proximo da estrela "Eta Pisces".  Nao foi feita a estimativa de brilho do cometa. Nota:  A observação está noticiado no Informativo Astronômico  (Vol. 5,  No. 4; pg. 15)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA).

Em Piracicaba (SP), Ademir Luis Xavuier Jr. informa ter visualizado o cometas as 22h00min (TU). Utilizou um binoculos 7x50 e um telecopio refletor de 12 cm de abertura Nota:  Outros  detalhes da  observação  de Ademir  estao   no   boletim   Informativo Astronômico  (Vol. 5,  No. 4; pg. 15)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA) .

Em Campinas (SP), J. Aguiar   observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator de 10 cm, estimou  a mag. do cometa em 6,5. Maiores detalhes, ver refs. (1) e (2).

Em Rio Grande (RS), Daniel Lavouras  observou  o cometa Halley pela 1a. vez através de um  telescópio refrator   de  5 cm (dist. focal 90 cm),  binóculos 5 x 40, máquina  fotográfica, etc., porém não  conseguiu    fotografá-lo  devido a  nebulosidade. Nessa 1a. observação,  Lavouras  estava acompanhado de  Carlos Silva Jr.  e  Rafael G. Perez. Informa ainda  que  eles estavam tentando visualizar o cometa desde 01/Out/1985.  Nota:   Esta notícia  está  no  boletim   Informativo Astronômico  (Vol. 6,  No. 1)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA).  

 30/Nov/1985

Nao há registros do cometa ter sido observado neste dia.

01/Dez/1985

Em Porto Alegre, observadores  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA) de deslocam de novo   até o Parque Estadual de Itapoã  (Porto Alegre)  para tentar observar   o cometa Halley.    Luiz Augusto da Silva, Luis  Antônio S.   Machado  e Clarice M. Azevedo  conseguem visualizar o cometa a olho nu   as 00h 30min  (TU), embora o  céu não estivesse em condições ideais. É   a 1a. observação a olho nu  que se tem notícia do estado.   Já   Carlos A. Adib, Marcelo D. Nery e Alceu F.  Lopes só conseguem visualizar   o cometa, do mesmo local,  através de instrumentos.  Notas:  1)   Maiores  detalhes  dessa observação    estão   no   boletim   Informativo Astronômico  (Vol. 5,  No. 4)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA) . 2)  A   revista UNIVERSO, da  Liga Ibero-Americana de Astronomia (LIADA), edição Jan-Mar/1986 (Vol 6, No. 22) reconheceu que essa foi   a  1a. vez   que o cometa  Halley   foi   visto  a olho nu  da  América Latina. A  revista traz tambem os resultados  das observações realizadas  por Luiz Augusto L. da Silva  e demais  membros da equipe.

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Augusto L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  um binoculos 20x50,  nao há registro de ter estimado a mag. do cometa. Maiores detalhes, ver ref.  (1). Nota É  bem possivel que  esse relato faça parte da observação reportada acima, mas foi colocada para não desprezar a informação da  ref.  (1). .

 02/Dez/1985

Em  um local rural localizado no  municipio de  Porto Alegre,   Gilberto Klar Renner e outros colegas da UBA  observaram o cometa a olho nu. Gilberto K. Renner estimou  a mag. em 6,0! Maiores detalhes, ver ref (1)!

Comentários do Autor:  Cremos que essa observação foin realizada  no interior de Taquara (RS) para onde se deslocou um grupo de pessoas pertencentes a UBA, a SARG e a LIADA.  Apesar de ser um local bem escuro e apropriado para observação; o brilho do cometa não chamou a atenção dos presentes, frustando um pouco as expectativas do grupo. 

 03/Dez/1985

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Augusto L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  um binoculos 20x50,  estimou  a mag. do cometa em 5,1. Nota:  É bem possivel que essa observação tenha sido realizada em Taquara (RS) conforme referido na entrada anterior, pois Luiz Augusto L. da Silva fazia parte do grupo.

 04/Dez/1985

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Augusto L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  um binoculos,  estimou  a mag. do cometa em 4,9.

 05/Dez/1985

Nao há registros do cometa ter sido observado neste dia.

 06/Dez/1985

Em Campinas (SP), J. Aguiar   observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator, estimou  a mag. do cometa em 5,8.

Em Sao Paulo (SP), Romualdo Lourençon observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator de 6 cm, estimou  a mag. do cometa em 7,3.

 07/Dez/1985

Em Sao Francisco de Paula  (MG), Vicente Ferreira de Assis Neto  observou o cometa. A olho nu  estimou  a mag. do cometa em 5,3. Utilizando um binoculos 10x70,  reportou outros dados dimensionais da coma e da cauda do cometa.

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Augusto L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  um telescopio refletor de 11,4 cm  estimou  a mag. do cometa em 6,2.

 08/Dez/1985

Em São Francisco de Paula  (MG), Vicente Ferreira de Assis Neto  observou o cometa.  Utilizando um binoculos 10x70   estimou a a mag. do cometa em 5,8.

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Augusto L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  um binoculos  estimou  a mag. do cometa em 4,8

 09/Dez/1985

Em São Francisco de Paula  (MG), Vicente Ferreira de Assis Neto  observou o cometa.  Nas primeiras horas da madrugada, utilizando  binoculos 3x36, estimou a a mag. do cometa em 5,9. Na noite seguinte, mas antes da meia-noite, utilizou o mesmo binoculos e estimou a mag. do cometa em  5,4.  Vicente utilizou tambem seu binoculos de 10x70 para ver a coma do cometa.

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Augusto L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  binoculos 20x50  estimou  a mag. do cometa em 4,8. 

Em Campinas (SP), J. Aguiar   observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator de 10 cm, estimou  a mag. do cometa em 5,7. 

 10/Dez/1985

Em São Francisco de Paula  (MG), Vicente Ferreira de Assis Neto  observou o cometa.  Utilizando  binoculos 3x36  estimou a a mag. do cometa em 5,4. Vicente utilizou tambem seu binoculos de 10x70 para ver a coma do cometa.

 11/Dez/1985

Em São Francisco de Paula  (MG), Vicente Ferreira de Assis Neto  observou o cometa.  Utilizando  binoculos 3x36  estimou a a mag. do cometa em 5,4. Vicente utilizou tambem seu binoculos de 10x70 para ver a coma do cometa.

 12/Dez/1985

Em São Paulo (SP), Renato Levai observou o cometa. Utilizando  binoculos 10x40, nao há registro de  estimativa de  mag. do cometa.

 13/Dez/1985

Em São Francisco de Paula  (MG), Vicente Ferreira de Assis Neto  observou o cometa.  Utilizando  binoculos 10x70   estimou a a mag. do cometa em 5,0.

Em Sao Paulo (SP), Romualdo Lourençon observou o cometa. Utilizando  um telescopio refrator de 6 cm, estimou  a mag. do cometa em 6,1.

 14/Dez/1985

Em São Francisco de Paula  (MG), Vicente Ferreira de Assis Neto  observou o cometa.  Utilizando  binoculos  10x70  estimou a a mag. do cometa em 5,0.

 15/Dez/1985

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Augusto L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  um binoculos  estimou  a mag. do cometa em 4,8. 

 16/Dez/1985

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Augusto L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  um binoculos  estimou  a mag. do cometa em 4,7. 

 17/Dez/1985

Nao há registros do cometa ter sido observado neste dia.

 18/Dez/1985

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Augusto L. da Silva,  observou o cometa. Utilizando  um binoculos  estimou  a mag. do cometa em 4,4. 

Nota: Dia 18 as predições indicavam  que o cometa atingiria a mag. 6,0(6)

 De 19 a 29/Dez/1985

Não há registros do cometa ter sido observado neste periodo.

Notas: 1) Dia 24 o cometa passa a ser visto no ceu do Hemisferio Sul. 2) Dia 25 o cometa alcança o  máximo Ângulo de Fase (54,7 graus)  antes do Periélio.  (6)

 30/Dez/1985

De Imbé (RS)),   Luiz Augusto da Silva, reporta que as   00h00min horas (TU)   consegue observar pela 1a. vez  a cauda do cometa  Halley  através de binóculos 20 x 50 com uso de tripé.  O cometa estava próximo   da estrela  Gamma Aquarii (mag. 4,0).    Nota:  Essa observação  está relatada  no   boletim   Informativo Astronômico  (Vol. 5,  No. 4)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA)

Em  Porto Alegre (RS), Luiz Augusto L. da Silva,  observou o cometa em 2 oportunidades. Uma,  logo  depois da  meia-noite (de 28 para 29 de Dez).  Utilizando  um binoculos  estimou  a mag. do cometa em 3,5.  Na 2a. observação, um pouco antes da meia-noite (de 29 para 30/Dez), nao há registro de estimativa de magnitude.  Maiores detalhes, ver ref (1). Nota:  É  bem possivel que  esse relato faça parte da observação reportada acima, mas foi colocada para não desprezar a informação da  Ref.  (1). .

 31/Dez/1985

Não há registros do cometa ter sido observado neste dia.

 

 (CONTINUA)   >    Observações Realizadas em 1986

 

Fontes de Referência:

(1) Observações do Cometa 1P/Halley  >    http://www.rea-brasil.org/cometas/observ1p.html      

(2) Observações do Cometa 1P/Halley >   http://www.rea-brasil.org/cometas/observ1p.htm     

(3) Jornal "Zero Hora" de  07/Nov/1985 , pg. 31.

(4) Revistas e boletins indicados no texto

(5)  Arquivos pessoais do Autor.

(6) Manual Para La Observación de  Cometas - Parte II, de Stephen Edberg e Ignacio Ferrin

(7) Programa Brasileiro de Observação do Cometa Halley  > http://rea-brasil.org/cometas/pboch.htm

 

 

 

 


  Voltar