Voltar

                                            

                 Atividades Astronômicas   

               

 


Observações Realizadas

 

  12/Mai/1983

Na localidade de Águas Claras,  em Viamão, município vizinho de Porto Alegre, é avistado cedo da noite o cometa Iras-Araki-Alcock  (C1983 H1), conforme reportado em  Cronologia  dos Fatos (1978 -    ).

 

  04/Ago/1984

De Porto Alegre, do terraço  da Esc. de Eng. da PUC  é observada a ocultação do satélite Titã , de Saturno,  pela Lua. A cronometragem do evento  indicou que  o satélite  foi ocultado  as 00h03min07,8s.  Notas: 1) Maiores detalhes dessa observação estão no boletim UNIVERSO, da LIADA,  de Abr-Jun/1985   (V.  5 , No. 18), pag. 108.  2)  A ocultação dos aneis e do planeta não foram realizadas  devido a presença de nuvens.  3)  Essa observação foi feita juntamente com membros da União Brasileira de Astronomia (UBA).  

  12/Out/1985

Em Osório, de um ponto na localidade de Laranjeiras,  a  4 km da cidade  é    observado    as  21h 20min (Hora Local) o cometa Hartley-Good (C1985 R1) .  Na observação   foi  utilizado  um binóculos 10x50. Não  foi possivel fazer  estimativa  de  magnitude, mas o cometa    era  muito discreto (apenas uma pequena nebulosidade no  céu).  No dia 13,  às   23h 30min, foi  observar de novo o cometa,   mas ele foi  visto em   condição um pouco  pior   do que no dia anterior.  Notas: 1)    Essa observação  está  reportada   no  boletim da  UBA,  de Out-Dez/1985 (Vol. 5, No. 4). 2)  Esse cometa foi descoberto em 11/Set/1985 em uma chapa fotográfica  quando ainda estava com mag. 12 .

28/Nov/1985

Da área central de  Porto Alegre, é  avistado   o cometa  Halley  por volta das  22 h (Hora  Local),  inicialmente com  um binóculos  10x50  e depois com  um telescópio refrator de 7,6 cm (dist. focal 90 cm). O cometa estava perto da estrela Eta Pisces. Luis Antônio  Machado e Clarice M.  Azevedo também  visualizam o cometa do mesmo local. Notas:   1)  Este fato   está  noticiado no  boletim   Informativo Astronômico  (Vol. 5,  No. 4)  da   União Brasileira de Astronomia  (UBA). 2)  Posteriormente, em data não registrada,  o cometa foi visualizado novamente  de madrugada em um local (?)  no interior do município de Taquara para para onde se deslocou um grupo de adicionados  da citada entidade. 

     16/Dez/1986

Da cidade de Santana do Livramento, fronteira com o Uruguai, é  localizada  e  observada   a  estrela    Nova Centauri  1986   (depois catalogada   como V842 Cen).  Esta  estrela  foi  observada  às 4h15min  através de binóculos  10x50  do  Hotel  Jandaia dessa cidade. Sua magnitude foi estimada em 6,0.   Nas duas madrugadas  seguintes (17 e 18), ela não pode ser  observada por estar o céu  encoberto.  Notas:  1) Dia 19/Dez,   essa estrela foi observada de Porto Alegre  às 04h30min.  Nessa ocasião  sua magnitude foi estimada em 6,2.    2)  Essa "nova"   foi   descoberta  em  22/Nov/1986 quando estava  com  mag.  5,6.  3)   Seu brilho  máximo  aconteceu   em   24/Nov quando a estrela atingiu mag. 4,6.    4)  Esta    foi  uma  das estrelas desse tipo (nova) que   atingiu  maior brilho  nos  últimos 50 anos, podendo ser visível a olho nu se o observador estivesse  em local bem escuro.  5)  Em seu estado normal, esta estrela  brilha com mag. 18,6.   Portanto, em questão de dias, a estrela  aumentou de brilho  cerca de  400 mil vezes!  6)  Estudos realizados posteriormente   indicaram   que a estrela estava a cerca de   4100 anos-luz de distância.  7)   Abaixo  à esq.  temos a  localização da estrela  e  à  dir.  a curva de luz   fornecida pela  AAVSO  referente  aos  2  primeiros meses meses de observação visual.   

 

 

                                                                          

    07/Mar/1987

É observado  das margens da BR-116,  ao norte da  cidade de Camaquã,   a ocultação rasante da  estrela El Nath (ou Beta Tauri)  de mag. 1,7  pela Lua,    através de um telescópio de 7,6 cm (dist. focal de 90 cm).  A ocorrência desse evento havia sido identificada  anteriormente quando foi  indicado que  o limite  sul da faixa  de  visibilidade (na superfície terrestre) passava nas proximidades da cidade  de  Camaquã.    O evento foi observado pelo Autor e  por  Onofre D. Dalavia   por volta das  22 horas  (Horário Local).  Durante a observação foi constatado que a estrela (mag. 1,7) apareceu  e reapareceu  algumas vezes ao longo do limbo lunar. 

Comentários: 1) Essa observação foi  registrada  em uma fita cassete de audio, porém essa gravação  foi  perdida posteriormente.   2)  Em 2008  através de softwares foram identificadas  as condições em que essa  ocultação ocorreu.  3)   A   figura  da esq. abaixo mostra a faixa de  ocultação fornecida por um  desses softwares disponibilizado na Internet. 4) As demais  figuras  foram fornecidas por um outro software e mostram (no centro)  a posição da Lua em relação  às estrelas e ao horizonte e  (à dir.)  a posição da estrela em relação a Lua, momentos antes do inicio da ocultação. Segundo esse 2o. software, a ocultação iniciou por volta de 22h04min.

 

    11/Fev/1988

O jornal Zero Hora   traz   reportagem  na pag.   45   sobre  a ocultação da estrela Antares  pela Lua,  evento marcado para  ocorrer na madrugada do dia 12.  As   informações  são   da   União Brasileira de Astronomia  (UBA)   e  Liga Ibero-Americana de Astronomia (LIADA),    prestadas pelo  representante  local  das   2   entidades.  Nota: Houve confusão   do redator do jornal   ao colocar  o seguinte título da matéria:  "A estrela Antares vai  ocultar a Lua". Porém  o restante do artigo   foi  redigido  corretamente, não ficando nenhuma dúvida sobre o que iria acontecer.

Comentários:  1)   De Porto  Alegre  o Autor  observa   essa  ocultação com um  telescópio refrator de 7,6 cm  (dist. focal de  90 cm). Na fase de reaparecimento,  a estrela companheira  (mag. 5,4)  de Antares  foi  visualizada por   "alguns   segundos".  Isso somente   foi possível porque o reaparecimento (nesta ocultação)  ocorreu no limbo escuro da  Lua.    A  estrela  companheira de Antares  foi a 1a. a reaparecer, mas,   em seguida,  ela   deixou   de ser  vista  ao ser  ofuscada  pelo brilho  da    estrela principal  (mag 1,1) que reapareceu  no mesmo lugar.   2)   Aplicando um software disponibilizado na Internet, o Autor conseguiu  em 2008  constatar  que o desaparecimento da estrela ocorreu por volta das  2h55min  e  o reaparecimento as 3h51min (Horário Local).   3)  A figura  abaixo da esq.   indica  uma parte da   faixa da Terra onde a  ocultação foi visível.    4)    A outra figura (da dir.) mostra os  pontos do limbo lunar  em que a estrela desapareceu (lado iluminado) e reapareceu (lado escuro). Essas figuras foram obtidas do  software referido.  5) Foi   observando uma  dessas ocultações  em  1819  que   um observador descobriu   que  Antares  não era uma estrela isolada, mas  que   fazia   parte de  um  sistema  binário de  estrelas. 

 

    03/Jul/1988

O jornal Zero Hora   traz   reportagem  na pag  38    sobre  a ocorrência  de  manchas  solares de grande porte,  com   informações    da    Liga Ibero-Americana de Astronomia (LIADA),  prestadas pelo    representante local   da   entidade (autor desta Página)). Nota: Abaixo a fotografias que saiu no jornal, mostrando as manchas  solares. No detalhe, a ampliação das manchas  que aparecem na  foto maior.   Essa  foto é de autoria de  Bariney de Souza e   foi  obtida  de uma tela onde foi projetada a imagem do sol depois de  coletada pelo telescópio refrator de 7,6 cm de diâmetro  (dist. focal= 90 cm)  do autor.     

   02/Jul/1989

O jornal Zero Hora   traz   reportagem  na pag  7   sobre  a ocultação da estrela 28 Sagittarii  (mag. 5,4)   pelo planeta  Saturno (mag 0,0) . As  informações  foram da   Liga Ibero-Americana de Astronomia (LIADA),  prestadas pelo representante local   da   entidade.  

Comentários:  1)  Do município de Canoas, o  autor conseguiu observar  algumas fases desse  evento, até a estrela ser ocultada pelo disco planetário.  Utilizou na observação  um telescópio refrator de 76 mm  (dist. focal 900 mm) e   ocular  H 6mm que   proporcionou   um aumento de 150 vezes.  2)  Os resultados dessa   observação estão   reportados na revista  UNIVERSO de Jan-Abr/1990 (Vol. 10, No. 31) da  Liga Ibero-Americana de Astronomia  (LIADA). 3)  Conforme se nota  da   fig. abaixo (da esq.),   na   ocasião  os  planetas   Saturno e Netuno  (mag. 7,9)  estavam em conjunção, separados no céu  por uma distância do tamanho de uma  Lua Cheia.  4)   Na outra fig. (da dir.)  é mostrada  a posição da estrela em 3  momentos diferentes (antes de ser ocultada pelos anéis;  atravessando o anel de Cassini  e antes de ser ocultada pelo  disco do planeta.  5)  As ilustrações foram feitas a partir  de um  software; os tempos  indicados (h:min)  foram obtidos do mesmo software  e estão em Horário  Local.

 

.

   21/Fev/1990

O    jornal  Zero Hora    noticia na  pag. 46    o aparecimento  do cometa Austin  (1989 C1)  com base    em dados   fornecidos  pelo representante    local  da   Liga Ibero-Americana de Astronomia (LIADA).  Nota: Este cometa  foi  descoberto pelo observador  amador  Rodney R. D. Austin, da Nova Zelândia, em 06/Dez/1989. Inicialmente os prognósticos eram promissores,  prevendo-se  que  este cometa atingiria  mag. 1 ou mesmo 0, porém  o mesmo não aconteceu.  No  seu  máximo brilho, ele  foi apenas um astro de 3a. magnitude.   

Comentário:   De Porto Alegre   o   autor  consegue  observar    esse cometa durante a madrugada, mas o mesmo  é visto  apenas   com   instrumento (telescópio). Era  um   cometa de  fraco brilho, sendo visível apenas  a  coma. Nota:  Os  registros  dessa  observação não foram encontrados.  

    Jul/1994  

De Porto alegre e Canoas, o autor consegue  observar    pelo menos   uma   das   "cicatrizes"  deixadas  pelo  choque  de   pedaços  do  cometa Shoemaker Levy-9  (C1993 e)   contra a    atmosfera  de Júpiter .  A observação foi feita com   um telescópio refrator  de  76 mm (dist . focal 900 mm)  e oculares  H 12.5mm  e  H 6mm . As observações foram feitas  em  3  ou   4 oportunidades (noites seguidas). Notas: 1)  Relatos das observações  realizadas   constam  do   boletim   Ad Astra, publicado pela SARG  em Dez/1994.    2)  O cometa   se  dividiu  bem antes dessa data  em    13  pedaços; os  choques desses  pedaços  ocorreram entre os dias 16  e  22 de Julho, mas permaneceram bem  visíveis por muito tempo (vários meses)  após o que foram se  dissolvendo na atmosfera do planeta 3) Não foi  encontrada  na  Internet  nenhuma  foto dessas cicatrizes obtida   por  astrônomo não-profissional.    4)  Abaixo uma ilustração (foto-montagem) do ocorrido  e  2   fotos  obtidas pelo Telescópio Espacial (HTL). 

   

      Ilustração  do Evento    

Cicatrizes  deixadas pelos  pedaços  do cometa  

11/Mai/2004 

De Tramandaí   é   observado   o   cometa  NEAT (C2001 Q4)   da cidade  Na ocasião o cometa  estava se movendo   na constelação de Caranguejo (Cancer). A observação  foi por volta das 19h 15min  (Hora Local)  com    binóculos  7  x 50 .  Sua magnitude foi estimada em 3,7   na comparação com  uma  estrela vizinha (Beta Cancri, mag = 3,5).   Foi  utilizado o método  de   desfocar a imagem da estrela para fazer a comparação com a imagem do cometa.

Comentários:  1)    Abaixo uma ilustração  do percurso do cometa  entre os dias  08/Mai  e 13/Mai/2004.   4) Essa  figura foi obtida de um software  para o dia e horas indicadas.  A posição indicada (dia 11) é a prevista pelo software.

01/Jan/2005

De  Tramandaí  é   observado   o   cometa   Machholz   (C2004 Q2)   O cometa  estava na constelação de Touro (Taurus)  quando foi visualizado as  23h (Hora Local).    Sua magnitude foi estimada em 5,0    na comparação com  uma  estrela vizinha (30 Tauri, mag = 5,1).

Comentários:   1)  Não foi possível  utilizar  o método  de   desfocar  a imagem da estrela  para fazer a comparação, pois os 2 objetos (cometa e estrela)   estavam muito próximos e as imagens se  aglutinavam. 2)  Esse cometa ainda foi observado do mesmo local   em    outras   6    noites que se seguiram  até o dia 14 de janeiro. 3)    Abaixo uma ilustração  do percurso do cometa  entre os dias  28/Dez/2004  e 03/Jan/2005.  4) Essa  figura foi obtida de um software  para o dia e horas indicadas. O números em vermelho indicam as magnitudes  das estrelas  que   foram  utilizadas para fins de estimar o brilho do cometa; portanto  51 significa mag.  5,1 5)  Nota-se que a posição  do cometa  prevista pelo software (figura)   difere  da observação feita nessa data.  Ver 1o. comentário.

 
 

 

Abr/2006

De Porto Alegre e de Tramandaí   neste mês  e nos meses seguintes,  o autor   passa a observar as passagens e   aumentos de brilho  que ocorrem  com os satélites de comunicação  da série   Iridium.  Esses satélites são de modo geral  de fraco brilho (mag.  6 a 8)  até passarem por cima  ou nas  proximidades  de  determinados lugares. Nesse momento, seus paineis  refletem   a luz solar de modo muito  intenso,    causando  um repentino  aumento de brilho do satélite  até  que surge  uma   poderosa   emissão de luz ("flare") varíavel  que perdura por alguns segundos, facilmente visível a olho nu. Dependendo da posição do satélite em  relação ao observador,  o "flare"  pode atingir  até  uma  magnitude      de   -8 !  Quando  a posição do satelite é tal que  a magnitude máxima  oscila entre - 6  e -  8, o  "flare"  pode ser visto inclusive   a luz do dia,  dependendo apenas  da  sua  distância (angular)  ao  sol. Notas1)  O Site  www.heavens-above.com fornece previsões  dessas ocorrências para qualquer posição  da  Terra. 2)  O  video  abaixo "deve"   ter sido    feito através de  um  telescópio,  por  isso o aumento de brilho  é muito exagerado. A  olho nu,  o aumento de brilho do satélite  também  é   muito acentuado,  mas  é muito inferior ao deste  video.  

Video  do  "Flare"  do  Satélite Iridium

22/Set/2006

Ocorre  Eclipse Solar Parcial  com visibilidade  no Rio Grande do Sul ao amanhecer.   

De Tramandaí,  o autor    não consegue  ver  o    nascimento do sol  sobre o mar, devido ao forte nevoeiro.    Por volta de  7h e 45 min,  o tempo  melhorou e foi possível   acompanhar e fotografar  as demais fases  do eclipse.  O método utilizado para fotografar  o sol  de modo seguro  (foto da esq. abaixo)   foi   projetar a  sua  imagem do sol,  coletada por um telescópio,   em  um  anteparo (ver  foto da dir.). O aparelho utilizado  foi  um  telescópio do tipo refrator de 7,6 cm; dist. focal de 90 cm.    Em nosso  estado   a   Lua   encobriu apenas um máximo de  19% do disco solar.  

  

   29/Set-05/Out/2006

O jornal   Dimensão,  de Tramandaí,     traz   notícia   na pag. 13 sobre o  Eclipse Solar  Parcial  ocorrido em 22/Set,  cedo da manhã, visível dessa localidade.  O jornal cita   que o evento foi observado  pelo autor  e registrado em  fotografias  desde  um ponto situado à  beira-mar.   A  imagem do sol,  depois de coletada pelas lentes de um telescópio foi  projetada  sobre um anteparo, permitindo que se fizessem  as fotografias do disco solar por  um processo seguro .  

   08/Nov/2006

Ocorre Trânsito de Mercúrio com visibilidade  no Rio Grande do Sul,   no turno da tarde,    com inicio  por volta das 17  horas  (Hora ou Tempo  Local -  TL).  Boa  parte  do percurso  da   passagem   do planeta  em frente do disco solar  foi bem  observada em diversos pontos do estado   No início  do   evento,   o  sol estava   a  30 graus de altura. Nota: Na ilustração abaixo, os horários estão  em Tempo Universal (TU) em que   TU =  TL + 2 horas.

Ilustração  do  Trânsito de Mercúrio

De Tramandaí, o  autor observa   e  fotografa   diversas  fases desse "trânsito", com um telescópio refrator de 7,6 cm (dist. focal de 90 cm) desde o seu início.Porém, não  conseguiu  acompanhar  totalmente o  evento  porque  o sol  se  pôs   no horizonte por volta de  20 horas  (Hora Local) quando Mercúrio ainda estava "transitando" sobre o disco solar. As condições celestes eram   excelentes  sem a presença  de   nenhuma núvem.  Notas:  1)   As fotos abaixo foram obtidas da  imagem do sol projetada em uma tela, utilizando um aumento de 75 x.  2)  Foi  utilizado  o processo do  "photoshop"   para realçar a imagem de Mercúrio. 3)  O ponto mais forte  é de  uma   mancha solar; Mercúrio é  o minúsculo  ponto mostrado em  2   posições diferentes.  4)  Há que ressaltar  que a    mancha solar  vista  na foto é muito maior que a Terra e a  Terra tem um diâmetro  100 vezes menor do que o do Sol.    

                  

 Dois momentos do   trânsito de Mercúrio 

   20/Jan/2007

Em Porto Alegre,  na  Ponta do Gasômetro, o  autor   e    Daniel B. Adib   observam por volta das 20 horas (Hora Local)  o cometa McNaught .   Utilizando  um binóculos 7 x 50, visualizam o cometa,  com uma cauda bem acentuada. A  olho nu  também conseguem visualizar o cometa, mas o mesmo  aparece  de  modo bem mais discreto. O  local escolhido não era apropriado,  pois apresentava    intensa  luminosidade artificial. 

   27/Fev/2007

De Tramandaí  é  observada a  Nova Scorpii  2007  (depois catalogada como V1280 Sco).  A    "nova"  foi  observada   entre    01h 10min   e    01h 30min (Hora Local)  com  binóculos  7x50.  Sua   magnitude  foi estimada  em 5,2   na comparação com o  brilho  das  estrelas vizinhas.  Na ocasião o céu estava  bastante  límpido. Notas:  1) A figura  abaixo  à esq.  mostra a posição da  estrela; imagem  obtida  no  Site da revista Sky and Telescope. 2)   À dir. tem-se  a curva de luz  da estrela   fornecida pela  AAVSO  relacionada aos  2  primeiros meses meses de observação visual.  Nota-se que nos dias  que se seguiram  ao do  brilho máximo, a participação dos observadores foi bastante expressiva. 

     05/Mai/2007

De Tramandaí  é   observada   a chuva de meteoros  das Eta-Aquáridas, entre 4  e  5  horas da madrugada (Hora Local). Constata que a  "chuva"  foi  de fraca intensidade, pois foi observado apenas 1 meteoro Eta-Aquárida e um outro esporádico. A magnitude  limite  estelar  a olho nu   era da ordem de 3, na ocasião da observação e o céu  não estava completamente transparente.  Nota:  Dia  05/Mai   era o dia  previsto para ser  o de máxima intensidade dessa  "chuva".   

 

    25/Mai/2007

De  Tramandai,  é  localizado e observado    o asteróide Vesta, utilizando binóculos 7x50 . Com  base em um  mapa  obtido  no   Site da revista Sky and Telescope  o asteróide  foi localizado na posição prevista.  Na comparação de  brilho com estrelas vizinhas,  foi estimado que ele  estava com mag. 5,8. O asteróide foi observado ente  19h  e 20 horas (Hora Local) aproximadamente. A olho  nu   foi estimado uma mag. limite estelar  de 4,0 na  área   de observação, no limite das  constelações de  Ofiúco ou Serpentário (Ophiuchus) e Escorpião (Scorpius). Nota:  O diâmetro  médio desse asteróide é da ordem de   530  km, embora seu formato não seja bem  circular Ele foi descoberto em  29/Mar/1807.

Notas1) Devido à  presença de núvens, não foi possível visualizar Vesta na noite seguinte (dia 26).   2)  Dia 02/Jun,    Vesta foi  visualizado novamente  cedo da noite (19 horas)  de   binóculos   bem afastado da sua posição anterior. Foi visto  também com telescópio refrator  (D=10,2  cm, DF= 66 cm, aumento de 26 x). Com  brilho  ligeiramente  superior ao do dia 25/Mai;  sua  mag. foi estimada em 5,6.    3)   O asteróide foi   visto novamente de  binóculos dia 07/Jun por volta de 20 horas,  embora o céu não estivesse em boas condições, pois havia  uma névoa rala no região de observação e no dia 15/Jun  por volta de 19-20 horas,  também de binóculos em um céu  bastante transparente.  Em ambos  os casos,  dias  07 e 15, sua  magnitude não havia se alterado muito,  em torno de  5,6 - 5,8.    4) Posteriormente  em 29/Set  o asteróide foi visto novamente com o mesmo  binóculos; agora  ele  estava   perto da estrela  "Teta" da  constelação do  Ofiúco, seu brilho  já  estava  bastante  reduzido,  em torno de mag. 7, 0 - 7,2 ,  no limite de visibilidade do instrumento. Esta localização somente foi possível   pelo fato de haver  um  mapa de busca do asteróide  encontrado na Internet, disponibilizado pela RASNZ.  5)  A ilustração abaixo obtida  de um software de astronomia  mostra o deslocamento de  Vesta  entre 15/Mai  e  10/Out  (de 2007).

 

    31/Mai/2007

De Tramandai,   é  observada  cedo da noite   a ocultação  da estrela  Antares (alfa)  da constelação do Escorpião (Scorpius pela Lua. Apesar  de haver nuvens  esparsas na  área de  observação e essa área  estar bem iluminada (era Lua Cheia) era plenamente  possível  observar Antares  de binóculos  7 x 50,   nas imediações da Lua  cerca de  20 a 15  min.  antes de iniciar  a ocultação.Porém , a   olho nu, a estrela  não foi possível visualizar a estrela. Utilizando um telescópio refrator (D=10,2  cm, DF= 66 cm) e  ocular que fornecia  aumento de 26  vezes.  Os   instantes de desaparecimento e de reaparecimento da estrela não foram cronometrados; apenas  a duração  do tempo em que a estrela  ficou ocultada (cerca de 1h e 05 min).   Nota:  Cerca de 2 a 3  min. após o reaparecimento, já era possível visualizar de novo  a estrela através de  binóculos, embora com  uma certa dificuldade.

     28/Jul/2007

 De Tramandaí,   é   localizado  o planeta  Urano e observado   entre 21 e 22 horas (Hora Local).  O planeta   foi encontrado ao se utilizar o mapa de busca  da RASNZ  que mostrava o percurso do planeta entre as estrelas da constelação de Aquário (Aquarius).  Utilizando um  binóculos  7x50 o planeta   mostrava-se  como   um  ponto  estelar  de  mag. 6,2      no comparativo com  as estrelas vizinhas.  Saliente-se que o planeta foi encontrado apesar do  céu não estar  bem escuro, visto que era   noite de  Lua  Cheia.   Notas:  1)   Em    11/Ago, o planeta   foi visto novamente, do mesmo local,  mas  agora  estava  levemente mais brilhante (mag.  6,0). Ele  estava   bem   mais próximo da estrela  Phi (mag.  4,2) do Aquário.    2)  Em  09/Set, foi visto novamente de binóculos, cedo da noite (20-21 horas); na ocasião ele  já tinha ultrapassado  a estrela  Phi, estando já  um pouco distante dela. Sua mag. foi estimada em 6,0.  3)  A ilustração abaixo obtida  de um software de astronomia  mostra o deslocamento de  Urano   entre 15/Mai  e  07/Out  (de 2007). 

    11/Ago/2007

De   Tramandaí,  é  localizado  o planeta  Netuno  por  volta das  19h30min (Hora Local).    A localização foi possível pela utilização do  mapa de  busca da  RASNZ  disponibilizado no site dessa Associação  que mostra   o percurso do planeta entre as estrelas de Capricórnio (Capricornus). Com   um binóculos 7 x 50,  o Autor   partiu da  estrela  Delta  do Capricórnio  (mag. 2,8) e com base     nas posições de  outras  estrelas fracas  da região conseguiu chegar  ao   planeta que  se mostrava como   um  ponto  estelar  de  mag. 7,4-7,5.   Era  o   único ponto estelar entre  as estrelas de mag.  7,2   e as 2 estrelas  de mag. 6,6 e 6,9  do mapa da RASNZ.    Saliente-se que o planeta foi encontrado porque não havia luar  e   por estar  em seu brilho máximo (mag 7,5),  estando    quase  no limite de visibilidade do binóculos. Foi  observado até por volta de  20h50min quando já estava  mais elevado, fora do alcance do instrumento (binóculos).  Nota:   A ilustração abaixo foi  obtida  de um software de astronomia  mostra o deslocamento de  Netuno   entre 01/Jun24/Out  (de 2007). 

 

  29/Set/2007

De Tramandaí,  é   localizada e observada    a estrela variável  Chi  Cyg  por volta das 20h30min  (Hora Local).   Com base no  mapa estelar   abaixo (obtido  do Site da  revista  Sky and Telescope)   foi estimado através de um binóculos 7x50 que a estrela estava com mag. 5,8.  Notas:  1)  Esta estrela é uma variável de longo período, passando a maior parte do tempo  com  brilho  ínfimo.  2)  Conforme previsões, ela deveria ter alcançado brilho máximo (mag. 5,2)  em 20/Set3)  Visualizada  na noite  seguinte (30/Set),  seu brilho não havia sofrido alterações. 4)  Os   nos. mostrados na figura  indicam a magnitude das estrelas (sem a vírgula); p. ex,  59 significa mag. 5,9. 5)     Esta estrela apresenta uma  faixa de variação de brilho compreendida entre as magnitudes   4,3 e  14,1   em um período de 409  dias.  

 

  Nov/2007

De Tramandaí são feitas diversas tentativas para observar, através de binóculos  7x50,    a estrela  Mira (Omicrom)  da constelação da Baleia (Cetus), porém não foi obtido sucesso. Provavelmente  nesse mês a estrela  ainda estivesse com brilho inferior ao da   magnitude  7,3;  limite de alcance do instrumento.

  05/Nov/2007

De Tramandaí, é  localizado   o  cometa Holmes ou P/17 Holmes(2007).  Foi bem  visualizado  a olho nu e com binóculos 7 x 50  entre 01h45min e  02h30min (Horário Local).  Embora a área do céu onde ele estava posicionado (cerca de 10 graus de altura)  estivesse afetada pela luminosidade da cidade e houvesse uma névoa rala  que  prejudicava  a visibilidade de estrelas nessa área, o cometa  era visível (a olho nu)   como uma estrela  fraca.  Devido à névoa e à  luminosidade,  o ponto  estelar indicativo do cometa  por vezes  desaparecia da visão (a olho nu), mas em seguida  voltava a ser vista. Através do  binóculos,  o objeto estava muito bem visível  como uma  pequena  nebulosa circular  esbranquiçada com uma  leve condensação em torno do centro.  O cometa formava um triângulo  com as estrelas  alfa e delta  da constelação do Perseu e  estava  posicionado  equidistante dessas duas estrelas.   Foi estimado que o cometa  estava com  mag.  3,0  no comparativo com o brilho da  estrela delta do Perseu  (mag 3,0), considerando-se que essa  estrela estava em uma posição (altura) mais favorável para ser visualizada.  Nota:  O mapa abaixo, obtido de um software de astronomia,  mostra a   posição do cometa  em relação às estrelas da constelação do Perseu.  A imagem  do  cometa  é meramente ilustrativa,  pois, em verdade, ele aparecia contra o fundo do céu  de forma bem mais  discreta do que o indicado.  

     

   

    11/Nov/2007

Em  Tramandai,  é observada e cronometrada  a  ocultação  da estrela  Antares (alfa)  da constelação do Escorpião (Scorpius pela Lua. O desaparecimento da estrela ocorreu no limbo escuro (leste)   da Lua. O ceu estava  ainda um tanto claro e a   Lua   estava apenas 3%  iluminada. Foi utilizado um telescópio refrator (D=10,2  cm, DF= 66 cm) e  ocular (DF=2,5 cm)  que fornecia  aumento de 26,4 vezes. O desaparecimento da estrela  ocorreu  as  20h06min31s (Hora Local,  GMT-2). O reaparecimento da estrela no limbo iluminado da Lua  não pode ser visualizado (e cronometrado) porque a Lua ao se aproximar do horizonte, ficou atrás  dos últimos andares de  um edificio que ficava na linha de visada.  Nota: Na ocasião foi vista uma outra estrela se aproximando do limbo  escuro da Lua. Posteriormente se identificou que essa estrela era de mag. 6,1. Embora estivesse  bem visível, por problemas técnicos,   não  foi  cronometrado o instante do  desaparecimento dessa estrela. 

  Dez/2007

A partir desse  mês o Autor passa a fazer observações sistemáticas  de  estrelas variáveis,  utilizando binóculos  7x50 e 20x80 (com tripé).    Nota:  As estimativas de  brilho   dessas  estrelas passam a ser    registradas em arquivo. Nota:  A partir de Mar/2008  os resultados dessas observações começam a ser enviados  para a  REA (Rede de Astronomia Observacional, sediada em São Paulo);  em Jun/2008  para a  AAVSO (American Association of Variable Stars Observers, sediada em Boston, MA, USA)  e em Mar/2009  para  a  Sección de Estrellas Variables da  LIADA (Liga Ibero-Americana de Astronomia).

    12/Dez/2007

De Tramandai,   é   feita   tentativa para   observar e cronometrar a ocultação do asteroide (4)  Vesta  pela   LuaFoi utilizado um telescópio refrator (D=10,2  cm, DF= 66 cm) e  ocular (DF=2,5 cm)  que fornecia  aumento de 26,4 vezes. Apesar das condições atmosféricas estarem favoráveis com  céu limpo e  nuvens ralas  em  deslocamento e a Lua  estar apenas 9% iluminada,  o horário do evento não foi favorável para a  nossa posição geográfica.  Como o  pôr-do-sol  ocorreu  somente  as 20h18min (Hora Local), isso veio   afetar  a visibilidade  do limbo escuro lunar e de igual modo a visibilidade do   asteróide que estava com mag. 8  na ocasião.  O desaparecimento  do asteróide  no limbo escuro (leste) da  lua  deve  ter  ocorrido  por volta das  20h30min  (Hora Local). 

    13-14-15/Dez/2007

De Tramandaí   é  observada   a chuva de meteoros das Geminidas. Foi observada  uma á rea de   aproximadamente  20 graus de raio   que  circundava   as estrelas  Castor (alfa) e Pollux (beta)   de  Gêmeos  (Gemini), local  do  radiante dos meteoros.  Na noite do dia 13 (entre 03:45 e 05:00 horas - Hora Local)  não foi visto nenhum meteoro dentro da área de observação. Na noite do dia 14 (entre 04:00  e 05:00  horas)  foram vistos  5 meteoros  partindo do radiante, todos eles de cor clara (brancos), de curto percurso  e brilhantes (mag. 2,0).  Outros meteoros  podem ter sido observados na área,  mas como houve dúvida,   não foram computados.  Também foram observados   2 meteoros esporádicos, não oriundos do radiante.   Na  noite do dia 15 (entre 03:15 e  04:00 horas), foram vistos 3  meteoros, emergindo do radiante e um outro meteoro esporádico, não oriundo do radiante. .   Nota:  Os valores  estimados  das magnitudes  dessas  estrelas estão registrados em arquivo próprio.

De Tramandai  é  observado  ao amanhecer  a  ocultação  da  estrela  Antares (alfa)  da constelação do Escorpião (Scorpius) pela Lua, sendo que  o desaparecimento da estrela ocorreu  no limbo claro (leste)  da Lua.   Na observação  foi utilizado   um telescópio refrator (D=10,2  cm, DF= 66 cm) e  ocular (DF=2,5 cm)  que fornecia  aumento de 26,4   vezes.  A estrela de 1a. magnitude   estava perfeitamente visivel  como um ponto brilhante claro junto ao limbo lunar, apesar do  céu estar   ainda um tanto claro.  A    Lua   estava  apenas 9%  iluminada a  25 graus de altura.  Por problemas técnicos,   o  desaparecimento da estrela (que deve ter ocorrido por volta de 06h08min, Hora Local)  não pode ser cronometrado.  Notas:  1)   O reaparecimento da estrela  ocorreu  no limbo escuro (oeste)  da Lua e   não pode ser visualizado (e nem  cronometrado) devido  a presença de   nuvens que  esconderam a Lua  no instante do  reaparecimento da estrela.  Essa reaparição deve ter ocorrida  por volta de 07h08min, Hora Local.   Algum tempo, de 1 a 3 minutos  depois   do reaparecimento, a  estrela foi   visualizada  junto ao limbo escuro da Lua como um ponto luminoso bem definido. 2)   Por volta de 07h20min (Hora Local), foi tentado  observar a estrela  através de  um binóculos 7 x 50,  mas  ela não foi visualizada.

  15/Jan/2008

De Tramandaí  é  observado  ao anoitecer   a  ocultação  da  estrela  Eta  da constelação de Peixes (Pisces) pela Lua, sendo que  o desaparecimento da estrela ocorreu  no limbo escuro  (leste)  da Lua.   A  observação  foi  feita  com   um  binóculos  20x80 com tripé.  A aproximação e desaparecimento  da  estrela  (mag. 3,8)  foram   perfeitamente visiveis, apesar do  céu estar   ainda um tanto claro.  A    Lua   estava  apenas 51%  iluminada em fase crescente a  40 graus de altura.  Por problemas técnicos,   o  desaparecimento da estrela (que deve ter ocorrido por volta de 20h44min, Hora Local)  não foi   cronometrado.   O reaparecimento da estrela  ocorreu  no limbo claro  (oeste)  da Lua e   não pode ser visualizado devido  ao intenso brilho  da  Lua. 

Do mesmo local,   o autor localiza pela 1a. vez   o asteróide (15) Eunômia que estava se deslocando na área da constelação de Gêmeos (Gemini).  A   "data da oposição"  do asteróide   tinha  ocorrido em  10 de janeiro quando ele   atingiu o seu  maior brilho (mag. 8,2). O asteróide foi encontrado na posição  indicada  pelo  mapa de seu deslocamento, disponibilizado na Internet no Site da  RASNZ (Royal  Astronomical Society  of  New Zealand). Devido as condições atmosféricas desfavoráveis,  o asteróide  não pode ser visto  nas noites seguintes.  Ele  foi localizado novamente  nas noites de  25 e 26 de janeiro. As noites que se seguiram  não foram favoráveis para observações.Ele foi visto novamente nas noites de    2, 4, 5, 6 e 7 de fevereiro. O asteróide foi observado sempre  por volta das 21-22 horas quando estava em uma posição favorável.  Notas:  1)   O  mapa abaixo que  mostra o percurso do asteróide foi  obtido a partir de um software de astronomia.  2)  As posições  indicadas correspondem ao horário das 21 horas. 3)  No comparativo com o brilho das estrelas da região, sua magnitude foi estimada  entre 8,5 no inicio e  9,0  no final.   4)   Todas as observações foram feitas através de um  binóculos 20x80 com tripé. 5)   O diâmetro  médio desse asteróide  está compreendido entre  255 e  268  km, embora não seja de formato circularEle foi descoberto em  29/Jul/1851.

      25/Jan/2008

De Tramandaí  é  observado  logo após  a meia-noite de 24 para 25 de janeiro, durante o processo  de  ocultação  da  estrela  Rho   da constelação de Leão (Leo) pela Lua,   o reaparecimento  da estrela (mag.  3,8)   no limbo escuro  (oeste)  da Lua.   A  observação  foi  feita  com   um  binóculos  20x80 com tripé.    A    Lua   estava  91%  iluminada em fase minguante a  27  graus de altura.  Durante o acompanhamento  do evento,  foi cronometrado que a estrela emergiu no limbo escuro precisamente as  00h13min30s (Hora Local) .  Nota:  O desaparecimento da estrela no limbo claro (leste) da Lua  não pode ser  observado devido ao  forte brilho.   

  04/Fev/2008

De Tramandaí  é  observado  ao amanhecer  o processo de  ocultação  de uma estrela  de mag.  6,3  da constelação do Sagitário (Sagittarius)  pela Lua, sendo que  o desaparecimento da estrela ocorreu  perto  do polo sul   lunar  onde se  encontram os   limbos claro e escuro.  A  observação  foi  feita  com   um  binóculos  20x80 com tripé.   A estrela  estava perfeitamente visivel  como um ponto brilhante claro junto ao limbo lunar durante a fase de aproximação.   A    Lua   estava   apenas 8%  iluminada a  12-13    graus de altura.   Durante o acompanhamento  do evento,  foram  cronometrados  tanto  o desaparecimento da  estrela (às  05h11min40s, Hora Local) como o seu  reaparecimento   no limbo claro (às  05h19min43s).  Portanto, a estrela ficou  ocultada pela Lua  por  aproximadamente 8 minutos

Do mesmo local  é  observado  ainda  ao amanhecer  o processo de  ocultação  da  estrela  Nunki (sigma)    da constelação do Sagitário (Sagittarius)    pela Lua.  O  desaparecimento da estrela ocorreu  no limbo claro (leste) .  A  observação  foi  feita  com   um  binóculos  20x80 com tripé.   A estrela  estava perfeitamente visivel  como um ponto brilhante claro junto ao limbo lunar durante a fase de aproximação.   No desaparecimento da estrela,   a  Lua   estava   8%  iluminada a  21    graus de altura.   Durante o acompanhamento  do evento, foram  cronometrados  tanto  o desaparecimento da  estrela (às  06h02min40s, Hora Local) como o seu  reaparecimento   no limbo escuro (oeste)   às  07h02min36s.  Portanto, a estrela ficou  ocultada pela Lua  por  aproximadamente 1 (uma) hora.  No  instante do reaparecimento da estrela  a Lua já  estava a 34 graus de altura.

  04/Fev/2008

De  Tramandaí   é  localizado  e observado  pela 1a. vez,   por volta de  23 horas,   o asteróide (6) Hebe  que estava se deslocando na área limítrofe  das constelações  de Leão (Leo) e  de  Caranguejo (Cancer).  Este  asteróide deveria atingir    a  "data de oposição"  (dia  de maior brilho)  em 7  de fevereiro  quando então  teria a   magnitude  de  8,8. O asteróide foi encontrado na posição  indicada  pelo  mapa de seu deslocamento, disponibilizado na Internet no Site da  RASNZ (Royal  Astronomical Society  of  New Zealand).  O asteróide  pode continuar  a ser localizado   nas noites seguintes até o  dia  7.  Nessas 4  noites   foi estimado que o  asteróide estava  com  uma magnitude de  9,0.    O asteróide foi observado sempre  por volta das 22-23   horas quando estava em uma posição favorável.    Nas  noites seguintes, as condições atmosféricas  pioraram  e o asteróide não pode ser   localizado. Posteriormente com a melhoria do tempo,  o asteróide foi encontrado  novamente nas noites de 23 e 25 de fevereiro. Nessas ocasiões ele já  estava muito fraco,  quase no limite visual do binóculos. Foi estimado uma magnitude de  9,3  para essas 2 noites.   Notas:  1)   O  mapa abaixo que mostra o percurso do asteróide foi obtido a partir de um software de astronomia.  2)  As posições  indicadas correspondem ao horário das 21 horas. 3)   Todas as observações foram feitas através de um  binóculos 20x80 com tripé. 4)  O diâmetro  médio desse asteróide é da ordem de   186 km, embora não seja de formato circularEle foi descoberto em  01/Jul/1847.

 

  20/Fev/2008

De Tramandaí  é  acompanhado   ao anoitecer   o processo de  ocultação  da estrela Regulus (alfa)  da constelação do  Leäo (Leo) pela Lua.  A  observação  foi  feita  com   um  binóculos  20x80 com tripé.   A estrela  estava visível   como um ponto brilhante claro junto ao limbo lunar durante a fase de aproximação.  Mas como  a Lua  estava  em fase Cheia - máximo brilho -   ficou  muito  dificil  reconhecer  a   estrela quando ela  encostou no   limbo lunar.  Mesmo  assim foi cronometrado o desaparecimento (imersão) da estrela como fato  ocorrido as  19h38min07s (hora Local).  Notas:  1)  O reaparecimento (emersão) da estrela não pode ser  visualizado  devido  a presença de nuvens no local onde estava  posicionada a Lua. 2)  A estrela  de mag. 7,6   que   acompanha   Regulus  não foi visualizada na fase de aproximação  devido à  interferencia do  luar.

     20-21/Fev/2008

Ocorre  Eclipse Lunar Total   com visibilidade  no Rio Grande do Sul na noite do dia 20 para 21.   

De Tramandaí,  a Lua    é  observada  desde cedo da noite, mas    se detecta  que  somente   durante  as ultimas fases  do eclipse penumbral  (por volta de 20h30min - Hora Local)  foi que a Lua apresentou um certo escurecimento de sua superfície junto  ao limbo (borda)   onde iria começar o eclipse.   A cronometragem  do evento  indicou   que  o  eclipse (em sua   fase parcial) iniciou  às  20h42min43s (Hora Local) . A  passagem da sombra por algumas crateras  também   foi cronometrada    através de gravação de audio.  Os  resultados obtidos  foram enviados para  a REA (Rede de Astronomia  Observacional) com sede em São  Paulo. 

     22 e 23/Mai/2008

De Tramandaí é observada   a passagem do planeta Marte (mag. 1, 6)  pelo aglomerado aberto  M44,  na constelação do Caranguejo (Cancer).  Esse aglomerado de estrelas  é também conhecido como  Presépio ou Colmeia.  A figura   abaixo fornecida pelo  software  CyberSky 4  mostra   como foi o deslocamento do planeta  em relação as estrelas do aglomerado.  As  posições de Marte  estão indicadas para as datas marcadas e  foram  feitas para  as 21horas (Horário Local).

 

     30/Mai/2008

De Tramandaí é observado o cometa  C/2007  W1 Boattini  por volta de 20h40min (Horário Hocal).  Ele estava posicionado na constelação da  Popa (Puppis).   Visualizado no binóculos 7x50 mostrou-se  como um astro completamente difuso de cor esbranquiçada  de pouco brilho contra o fundo do céu.  Com  o  binóculos  20x80,  embora bem  mais brilhante,  também de cor esbranquiçada, bem difuso, não  se visualizando  nenhuma condensação. O tamanho de sua coma foi estimada em 8' (8 minutos de arco) no comparativo com a distância entre estrelas vizinhas.  Não foi  estimada a sua magnitude, mas  sua posição em relação às estrelas  foi  devidamente registrada. 

     06/Jan/2009

De Tramandaí é observado pela 1a. vez  o cometa  C/2007 N3 Lulin  por volta de 05h30min (Horário Hocal, de Verão).  Ele estava posicionado na constelação do Escorpião (Scorpius).   Visualizado no binóculos 20x80,  mostrou-se  como um nuvem bem  difusa de  pouco brilho contra o fundo do céu.  Nao foi constada nenhuma condensação central.   Não foi  estimada a sua magnitude, apenas   sua posição em relação às estrelas  vizinhas. Nota: No dia  7  foi observado novamente as 05h10min, já apresentando uma leve condensação central, porem  a coma era bem pequena. Dia 8 foi visto novamente as 05h15min, embora o céu estivesse com  uma névoa bem  consistente. Dias  17  e  18  foi observado novamente, agora   na constelação da Virgem (Virgo) por volta de  22h20min.  Comparando com a distância entre estrelas,  o tamanho da sua coma  foi estimado  em  15 minutos de arco (dia 17). Não se  constatou, porém, nenhuma condensação central  bem  destacada. Nessas 2 últimas  observações (17 e 18), ele foi visualizado também com  o binóculos  7x50.

  04/Jul/2009

De  Tramandaí é  localizado  e observado   por volta de  19  horas (Hora Local),   o asteróide (7) Iris  que estava posicionado  na  constelação  do Sagitário (Sagittarius).  A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.    Nesta  data este  asteróide estava  atingindo a   "data de oposição"  (dia  de maior brilho).   A magnitude  predita para essa data  era  8,8.  O asteróide foi encontrado na  posição  indicada  pelo Site  www.heavens-above.com.      Notas:  1)  O  mapa  estelar  abaixo indica a posição do asteróide em relação às estrelas vizinhas.  O mapa   foi   obtido  do  software de astronomia Stellarium 0.9.1. 2)  A magnitude das estrelas vizinhas estão expressas sem o ponto decimal (86 significa  mag. 8,6). A estrela mais brilhante do campo (29 SGR) possui mag 5,2.  3)  O diâmetro  médio desse asteróide  está compreendido entre 190 e 210 km, embora não seja de formato circularEle foi descoberto em  13/Ago/1847.

04/Jul/2009

De  Tramandaí é  localizado  e observado   por volta de 22 horas (Hora Local)  o planeta Netuno que estava em conjunção com Júpiter, ambos  localizados na constelação do Capricórnio  (Capricornus).    Netumo e  Júpiter formavam com a estrela Mu Cap um triângulo retângulo perfeito.  A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.   Na ocasião Júpiter  era o astro mais brilhante (mag -2,3) enquanto Netuno estava com mag.  7,9 e a  estrela  (Mu Cap)  com  mag.  5,0.    Nota:   O  mapa  estelar abaixo  mostra os 2 planetas e a estrela citada. Esse mapa foi  obtido  do  software de astronomia CyberSky 4. 

 

13/Ago/2009

De  Tramandaí  é   localizado  e observado   às 22h46min  (Hora Local) o  asteróide  (3) Juno  que estava posicionado  na constelação do Peixes  (Pisces).  Seu  brilho  era  inferior ao da estrela de mag. 8,4 (indicada na imagem abaixo  como 84).   Foi estimada  uma mag. de 8,7 para o asteróide. Na observação foi utilizado um binóculos 20x80 com tripé.   Notas: 1)   O  mapa  estelar abaixo  mostra  o local onde foi  encontrado  o asteróide (AR(2000)= 00h14min45s; DE= +02°50'24").  2)  As  posições dos asteróides (e outros corpos planetários) geralmente são fornecidas  para um observado situado no centro da Terra.  3)  Na ocasião, o asteróide  estava a  cerca de  220 milhões de quilômetros  da Terra. 4)  O diâmetro  médio desse asteróide é da ordem de   233 km, embora não seja de formato circularEle foi descoberto em  01/Set/1804.   5)   Este asteróide  foi observado  posteriormente em mais 3  oportunidades (21/Ago,  19/Set  e  25/Set).  6)  Na figura abaixo é mostrada a posição (em cor de vinho) onde foi encontrado o asteróide; em cor branca é mostrada  sua posição,  calculada  para um observador localizado no centro da Terra. 

 

Na mesma ocasião, um pouco antes (às 22h30min)   foi observado  o planeta Urano que também  se encontrava posicionado na mesma  constelação (Peixes). O brilho do planeta era  inferior ao da estrela de  mag. 5,4 (indicada como 54).  Estimou-se para o planeta uma  mag. de 5,8. Foi utilizado o mesmo instrumento indicado  acima.  Notas1)  Na ocasião, o planeta estava a  cerca de 2,9 bilhões de quilômetros da Terra. 2) Devido essa grande distância,  a posição calculada  do planeta  (para um observador no centro da Terra) não difere  quase nada da posição observada  de outros pontos da superfície terrestre.

 

02/Out/2009

De  Tramandaí  é   localizado  e observado   às 21h30min   (Hora Local) o  asteróide  (18) Melpomene   que estava posicionado  na constelação da  Baleia (Cetus) Sua magnitude foi  estimada em 8,0 no comparativo de brilho com estrelas vizinhas.   Na observação foi utilizado um binóculos 20x80 com tripé.   Notas: 1)  Na noite seguinte (dia 03) no mesmo horário, o asteróide foi visualizado novamente, já distanciado  da posição anterior.  2)  O  mapa  estelar abaixo  mostra  as duas posições do asteróide.   3)  Na ocasião, o asteróide  estava a  cerca de  120 milhões de quilômetros  da Terra. 4)  O diâmetro  médio desse asteróide é da ordem de   140  km, embora  ele  não seja de formato circular.  Ele foi descoberto em 24/Jun/18525)  Os dados no canto superior esquerdo da imagem são da estrela  assinalada (em branco); perto da qual  o asteróide estava  se deslocando na ocasião.

 

 

11/Jan/2010

De  Tramandaí  é   localizado  e observado   às  05h05min   (Hora Local) o  asteróide  (1) Ceres   que na ocasião  estava se deslocando na área da  constelação do  Serpentário  (Ophiuchus).  Sua magnitude foi  estimada em 8,9  no comparativo de brilho com estrelas vizinhas.   Na observação foi utilizado um binóculos 20x80 com tripé.   Notas: 1)  A posição em que Ceres foi observado  é indicado pela cruz na figura da esq.; a  outra posição mostrada na figura  é a que está  prevista em cálculo para um observador localizado no centro da Terra. 2) Ceres  foi  o 1o. asteróide  descoberto; isso ocorreu em 01/Jan/1801.  3)  Atualmente Ceres  já não é mais considerado como asteróide pela União Astronômica Internacional (UAI); esta  entidade  classifica-o como Planeta  Anão visto ser um corpo celeste com características diferentes dos planetas e dos asteróides. 4)  A ilustração da direita mostra  como é a constituição interna de Ceres, cujo diâmetro  é da ordem de  950 km (valor médio); esta figura foi  obtida da Wikipedia). 5)  Na  data da observação, Ceres  estava a cerca de 503 milhões de quilômetros da  Terra.

 

06/Mar/2010

De  Tramandaí  é   localizado  e observado   às  20h54min  (Hora Local) o  asteróide  (4) Vesta   que naquele momento    estava se deslocando na área da  constelação do  Leão (Leo).  Sua magnitude foi  estimada em 6,2   no comparativo de brilho com estrelas vizinhas.   Na observação foi utilizado um binóculos 20x80 com tripé.   Notas: 1)  A posição em que Vesta  foi  observado  está indicada  pelo ponto vermelho (RA(2000): 10h03m35s;  DE: 21º34'15");  a  outra posição (de Vesta) mostrada na figura  é a que está  prevista em cálculo para um observador localizado no centro da Terra.  2)   Na  ocasião   Vesta   estava a cerca de 215 milhões de quilômetros da  Terra. 3)  Vesta   é o  mais brilhante dos asteróides; podendo, sob boas condições, ser observado a olho nu. 3)  Ele  foi   o 4o. asteróide  descoberto (em 1807); apenas 7 anos depois do 1o. (Ceres).  O próximo asteróide  só veio a  ser descoberto em 1845;  38 anos depois,  é  o  (5) Astreia.   4)  Os números indicados na figura, ao lado de cada estrela, são as suas magnitudes. P. ex; 57 significa magnitude  5,7

 

08/Mai/2011

De Tramandaí, é observada a estrela variável   T Pyx   que é  uma  das poucas "novas"  catalogadas como  "novas  recorrentes", ou seja,  "novas" que  voltam a  aparecer   de novo depois de um longo período (vários anos) de inatividade.  No momento da observação, cerca de 21 horas (Hora Local), a  magnitude da estrela  foi estimada em 7,2 no comparativo com o brilho de  estrelas visíveis.  Notas1)   A observação foi feita com binóculos 20x80 com tripé.  2)     No dia 10,  no mesmo horário,   a estrela foi observada novamente e sua magnitude foi estimada em 6,6. Portanto em apenas 2 dias  a estrela teve um  aumento de brilho de  74%.  3)  Em estado normal  essa estrela é muito fraca, com magnitude  em torno de 15,5.  Em ciclos que podem variar de 20 em 20 anos, ela sofre  um violento aumento de brilho,  da ordem de  4300  vezes, quando chega a  atingir  magnitude da ordem de  6,4.  4)  Descoberta em 1890, sua última explosão  de brilho foi observada em  1966.  Esperava-se que na década de  1980-90, haveria nova explosão de brilho, mas tal fato não foi observado. 5)  Em 2011,  a   mudança de brilho foi inicialmente constatada pelo observador  Mike Linnold  em 13 de abril.    6)   Explica-se  que estrelas desse tipo são constituídas por um par de estrelas; uma estrela   menor (anã) e uma  estrela maior (gigante). Em determinados  momentos, as estrelas     ficam muito  próximas  e  ocorre   transferência de matéria - de modo muito  violento -  da estrela gigante  para a estrela anã.  No caso de T Pyx,  o aumento de brilho (ou transferência de matéria) pode durar alguns meses. 7)  A figura abaixo  da esq.  mostra a curva de luz de T Pyx (entre final de março e inicio de julho de 2011)  conforme reportado por observadores visuais a  AAVSO -  American Association of Variable Stars Observers. 8)  A figura abaixo da dir. (obtida no Site do Wikipedia) é  uma animação  de duas  estrelas girando em torno de um ponto comum, chamado centro de gravidade do sistema.    9)  A  animação   que  mostra como  foi o aumento de brilho  da estrela  T Pyx  (obtida no Site da revista Sky&Telescope)   pode ser vista em  http://i176.photobucket.com/albums/w189/walcom77/T_Pyx_animation_April_15_2011.gif

 

 

 

15/Ago/2013

De Porto Alegre,  é observada a  "Nova Del 2013" que surgiu na constelação do Delphinus (Delfim ou Golfinho) quase no limite com a  constelação da Vulpecula (Raposa).  No momento da observação, cerca de 19h30min   (Hora Local), a  magnitude da estrela  foi estimada em 5,0 no comparativo com o brilho de  estrelas vizinhas.  Notas1)   A observação foi feita com binóculos 20x80 com tripé.  2)     No dia 16,  no mesmo horário,   a estrela foi observada novamente do mesmo local e sua magnitude foi estimada em  4,6.  3) Dia 17, foi novamente observada, agora  da praia de Tramandaí, no mesmo horário. Nao foi constatado aumento de brilho; sendo sua   magnitude  estimada em 4,6.  Dia 18 foi observada de novo  agora com mag. de 4,8.   Novas estimativas de brilho  foram e continuam sendo feitas.  4)  Essa "nova"  foi descoberta em 14 de agosto  por um astrônomo amador japonês; no momento da descoberta   ela  já  estava com magnitude 6,5.  5) Essa foi  a 2a. "nova" descoberta nessa constelação; a  1a. nova (nessa constelação)   foi a  Nova Del  1967 (HR Del) que atingiu no seu máximo a mag. de  3,5, portanto em condições de ser visível  a olho nu! 6)  Na imagem abaixo da esq. está indicada o ponto em que a estrela apareceu na constelação e na imagem da dir. a curva de luz (a partir de estimativas visuais)  realizadas  pelos observadores da  AAVSO  até  01/Set./2013. 

 

 

14/Nov/2013

De Porto Alegre é observado o cometa C/2013 R1 (Lovejoy)  deslocando-se  da  constelação do Leão (Leo) para o Leão Menor (Leo Minor). Nota:  1) O cometa foi observado com um  binóculos 20x80  (com tripé).  2) Foi visualizado apenas a sua coma, aparecendo um pequeno ponto mais brilhante no centro (seria o núcleo do cometa?). 3) Com esse instrumento não se detectou nenhum vestígio de cauda, talvez devido a moderada  luminosidade  do céu. 4)  Não foi feita estimativa de magnitude do cometa, o que se notou era que a sua coma era mais discreta que as duas estrelas vizinhas (de mags. 8,20 e 8,35) com as quais formava um triângulo.  4)  Nas imagens a seguir mostra-se inicialmente  o local onde o cometa foi encontrado às 06:49 (TU) ou 04h49min (Hora de Brasilia)  e  mais abaixo   as 3 posições (de modo aproximado) em que o cometa foi observado, em relação as estrelas vizinhas. 5) No topo das imagens, como de praxe, é colocada  a Hora Universal (TU) das citadas observações.

 

 

 

06/Dez/2013

De Porto Alegre,  é observada  a  "Nova Cen 2013" que surgiu na constelação do Centaurus (Centauro).  No momento da observação (05h10min, hora de Brasilia), a estrela foi vista a olho nu e sua magnitude foi estimada em 3,5 no comparativo com brilho das estrelas vizinhas. Posteriormente foi observada atraves de um binoculos 20x80 com tripé.  Notas:  1) Esta estrela foi descoberta dia 02/Dez por um observador australiano quando estava com mag.  6,5.    2)  A partir dessa  data,  a estrela foi observada  em outras oportunidades   através de binóculos 7x50 (sem tripé), ou de  Porto Alegre ou de Tramandaí.  3)  Essa estrela foi a "nova"   mais brilhante que já foi observada nessa constelação.  Outra nova brilhante surgida nessa constelação foi  a V842 Cen (Nova Cen 1986) que atingiu um pico de mag. de 4,6.   4)  Na imagem abaixo da esq. está indicada o ponto em que a estrela apareceu na constelação (perto da estrela Beta Cen)  e na imagem da dir. a curva de luz (a partir de estimativas visuais)  realizadas  pelos observadores da  AAVSO  até  03/Mai/2014. 5) Nota-se dessa curva que a estrela, na sua curva descendente de brilho,   de tempos em tempos sofre  novas  "elevações" de brilho.

 

Essa estrela  vem sendo acompanhada ao longo do ano de  2014. Até  início de  maio de 2014 ela continuava  sendo visível através de  instrumentos de médio porte (binóculos e telescópios). Até então, a estrela estava  com mag.  7,8.   Notas: 1)  A foto abaixo de G. K. Renner, que mostra a estrela (N),  foi  feita em  05/Mar/2014 às 01h10min (TU), de Arambaré - RS,   com uma câmera Nikon 105 mm (f 6.3 -  ISO 3200 - tempo de exp. de 10 seg.).  2)  Essa imagem é um detalhe de uma foto de maior tamanho.

 

 

19/Jan/2014

De Tramandaí é observado o asteróide (2) Pallas  às 22h20min (Hora de Brasilia), nas proximidades da estrela Hip 49561 (mag.  6,6) da constelação da Hydra. Ver a posição do asteróide na imagem abaixo. A mag. do asteroide foi estimada em 7,7 no comparativo com o brilho das estrelas vizinhas.   Nota:  O asteroide vai atingir a oposição (momento de máximo brilho) no dia 26/Fev.  Esta oposição de 2014   é considerada como "favorável" visto que vai atingir um brilho superior ao de outras oposições. 

 

05/Ago/2014

De  Tramandaí é  localizado  e observado   por volta de 22h15min   (Hora Local)  o planeta Netuno,  posicionado na constelação do Aquário (Aquarius). Na ocasião o planeta estava a  cerca de 30 graus acima do horizonte leste.    A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripéA magnitude do planeta foi estimada em 7,8!     Notas: 1)   O  mapa  estelar abaixo  mostra  a posição do planeta (dia 05/Ago)  em relação às estrelas vizinhas em que  se destaca  a  estrela  Sigma Aqr, de mag. 4,8 Os números ao lado de cada estrela indicam suas magnitudes  (sem a virgula decimal).   Esse mapa foi  obtido  do  software Stellarium 0.12.4.  2) O planteta foi visualizado novamente dia  21/Ago por volta de 21h15min (TL).   Foi estimado sua  mag. em  7,7 no comparativo com brilho de estrelas vizinhas.

 

 

08/Ago/2014

De  Tramandaí  é   localizado  e observado   às 19h20min   (Hora Local) o  asteróide  (16) Psyche. Neste dia, o asteróide estava perto da   "oposição" (maximo bruilho),   o asteróide estava deslocando-se na região da constelação da  Capricórnio (Capricornus) e nas proximidades da estrela Theta Cap (mag. 4,8).  Segundo predições, sua magnitude  era da ordem de 9,3.   Ele foi observado com  um binóculos 20x80 com tripé.    Nota: 1) A  lua  por estar 95% iluminada   atrapalhou bastante a observação. 2)   Na  imagem abaixo fornecida pelo software Stellarium 0.12.4,   é indicada a posição  do asteróide em relação às estrelas vizinhas, posição essa  que  concordava bastante com os dados  fornecidos pelo Site Heavens-Above3)   Segundo efemérides, nesse momento  o asteroide (cujo diâmetro  é da ordem  de 200 km)  se encontra  a   cerca de 250 milhões de quilômetros da Terra (1,7 UA) e a 400 milhões de quilômetros do  Sol (2,7 UA).  (UA= Unidade Astronômica).  4)  Nova tentativa de observação foi feita em  29/Ago, do mesmo local (Tramandaí), por volta de 19 hrs (TL),  mas, dessa vez,   o asteróide nao foi visualizado. Estimou-se que na  ocasião, ele estava com brilho   inferior a  mag.   de 9,45  (que era o limite observacional do binóculos).  As condições do ceu nao estavam tão boas como no dia 8.

 

29/Ago/2014

De  Tramandaí  é   localizado  e observado   às 20h40min    (Hora Local) o  asteróide  (12) Victoria. Na ocasião,  o asteróide estava deslocando-se na região da constelação da  Pegasus, nas proximidades da estrela Zeta Peg  (mag. 3,4).    Ele foi observado com  um binóculos 20x80 com tripé.  Foi estimado que sua  sua magnitude  era da ordem de 9,0,  concordando com  a predição do Site Heavens-Above.   Nota: 1)  Na  imagem abaixo fornecida pelo software Stellarium 0.12.4,   é indicada a posição observada  do asteróide em relação às estrelas vizinhas.  2)  Para localizar o asteróide, teve-se como base a posição   fornecida  pelo Site Heavens-Above3)   Segundo efemérides, nesse momento  o asteroide (cujo diâmetro  é da ordem  de 120  km)  se encontra  a   cerca de 135 milhões de quilômetros da Terra (0,90 UA) e a 280 milhões de quilômetros do  Sol (1,88 UA).  (UA= Unidade Astronômica).  4) Esse asteroide esteve   em "oposição" (máximo brilho)    dia 14/Set  quando atingiu a   mag. 8,4!

 

09/Nov/2014

De  Tramandaí  é   localizado  e observado   às 20h55min    (Hora Local) o  asteróide  (6) Hebe. Na ocasião,  o asteróide estava deslocando-se na região da constelação do Eridano,  nas proximidades da estrela variável DL Eri   (mag. 6,2).    Ele foi observado com  um binóculos 20x80 com tripé.  Foi estimado que sua  sua magnitude  era da ordem de 8,3,  concordando com  a predição do Site Heavens-Above.   Nota: 1)  Na  imagem abaixo fornecida pelo software Stellarium 0.12.4,   é indicada a posição observada  do asteróide em relação às estrelas vizinhas.  2)  Para localizar o asteróide, teve-se como base a posição   fornecida  pelo Site Heavens-Above3)   Segundo efemérides, nesse momento  o asteroide (cujo diâmetro é da ordem  de 190  km)  se encontra  a   cerca de 165 milhões de quilômetros da Terra (1,11  UA) e a 305  milhões de quilômetros do  Sol (2,02  UA).  (UA= Unidade Astronômica).   4) Esse asteroide  esteve  em "oposição" (máximo brilho)    dia 20/Nov  quando  atingiiu  mag. 8,1!

 

 

25-26/Jul/2015

De  Tramandaí  é   localizado  e observado  por volta das 19h30min    (Hora Local) o  planeta-anão Ceres.  Na ocasião,  esse corpo celeste  estava deslocando-se na região fronteiriça  das constelações do Microscópio e Sagitário.   Ele foi observado com  um binóculos 20x80 com tripé.  Foi estimado que sua  sua magnitude  era da ordem de 7,2 no comparativo com o brilho  das estrelas vizinhas.  Notas: 1)  Na  imagem abaixo fornecida pelo software Stellarium 0.12.4,   sao  indicadas as posições de Ceres  em relação às estrelas vizinhas nesses dois dias.  2)  Para localizar  Ceres  teve-se como ponto de partida  a posição geocêntrica   fornecida  pelo mesmo Stellarium. Ver posição  indicada de Ceres mais abaixo.

 

 

08/Dez/2015

De  Tramandaí  é   localizado  e observado  por volta das 05h00min    (Hora Local) o  cometa  Catalina (C/2013 US10).  Na ocasião,  esse corpo celeste  estava deslocando-se na região  da constelação da Virgem (Virgo)    Ele foi observado com  um binóculos 20x80 com tripé.  O cometa era apenas um objeto difuso, muito discreto nas proximidades da  estrela Hip 69933  de mag . 7,4 . Ver localização do cometa   na imagem abaixo. Sua magnitude não foi estimada.   Notas: 1)  Para sua localização, partiu-se  da  posição fornecida pelo Site Heavens-Above. 2)   A posição do cometa  praticamente concordava com a posição indicada pelo Site.

 

13/Jun/2016

De  Tramandaí  é   localizado  e observado   às 19h35min    (Hora Local) o  asteróide  (8) Flora. Na ocasião,  o asteróide estava deslocando-se na região da constelação do Ofiúco (Ophiuchus),  nas proximidades da estrela dupla Hip  84792  (mag. 6,25).    Ele foi observado com  um binóculos 20x80 com tripé.  Foi estimado que sua  sua magnitude  era da ordem de 9,5  concordando com  a predição do Site Heavens-Above  (Site H-A).   Nota: 1)  Na  imagem abaixo fornecida pelo software Stellarium 0.12.4,   é indicada a posição observada  do asteróide em relação às estrelas vizinhas.  2)  Para localizar o asteróide, teve-se como base a posição   fornecida  pelo Site H-A3)   Segundo efemérides  do  Site H-A, nesse momento  o asteróide (cujo diâmetro médio  é da ordem  de 135 km)  se encontrava   a   cerca de 210  milhões de quilômetros da Terra (1,4  UA) e  a  360  milhões de quilômetros do  Sol (2,4  UA).  (UA= Unidade Astronômica).   4) Esse asteroide  esteve  em "oposição" (máximo brilho)  no  dia  11/Jun/2016   quando  atingiu  mag. 9,4!  O periélio   (mais perto do Sol)  do asteróide ocorreu em 07/Jan/2011 e  seu periodo orbital é da ordem de 3,27 anos. 

 

"

21/Ago/2016

De  Tramandaí  às  04h26min  (Horário Local)  enquanto tentava estimar  o brilho da estrela variável  V Ori, o Autor admite  ter  visto um "Flare"  de mag. 4 ou 5    nas proximidades da estrela cuja posição é  AR= 05:10:57 e         Dec= +03: 06:42.  Como um "Flare" é um fenômeno (aumento de brilho) de duração instantânea,   dificilmente   se tem certeza que o fenômeno ocorreu ou não, mas fica o registro. Nota: Pesquisando em catálogos se naquela área do ceu  haveria alguma estrela  do Tipo UV que poderia emitir um "Flare", nada foi encontrado.

23/Ago/2016

De  Tramandaí é  localizado  e observado   por volta de 20h07min   (Horario  Local)  o planeta Netuno,  posicionado na constelação do Aquário (Aquarius). Como o planeta estava localizado perto da estrela Lambda Aquarii., de mag. 3,7  essa estrela foi  tomada como referência para encontrar  o  planeta.  A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.   A magnitude do planeta foi estimada em 7,6 no comparativo com duas estrelas vizinhas, de mags. 7,4 e 8,0!  Notas:   1) O  mapa  estelar abaixo  (obtido do Stellarium 0.12.4)  mostra  a posição do planeta   em relação às estrelas vizinhas. O planeta  foi encontrado   bem perto da posição indicada.   Os números ao lado de cada estrela indicam suas magnitudes (sem a virgula decimal).   2)  O planeta foi encontrado novamente dia  25/Ago  as 20h30min (Horario Local) na posição assinalada pelo  Stellarium.   3)  Dia 06/Set (as 19h45min - Horario Local)  o  planeta foi observado de novo bem perto da posição assinalada pelo Stellarium.  Sua mag. foi estimada em 7,7 no comparativo com as magnitudes  das estrelas indicadas na imagem.  Nota-se como Netuno  mudou de posição entre essas datas (23/Ago e 06/Set)  em relação a estrela de mag. 7,4 (74) e as estrelas A - B - C.

 

 

 

09/Out/2016

De  Tramandaí, às 19h35min (Hora Local)   faz-se uma tentativa de  observar  a estrela Nova Lupus 2016, porém não se teve sucesso.  A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.  Na ocasião a estrela  já estava diminuindo de brilho, depois de atingir um máximo  de mag. 5,6  em dias anteriores.   Pelo exame do brilho  das estrelas vizinhas, verificou-se que a Nova Lupus 2016  nessa ocasião  estava com brilho inferior a mag. 9,5;  valor limite que o aparelho  permitia observar!  Em nova tentativa, dia  11/Out/2016,   também não se obteve sucesso. Nesse dia, as condições do ceu estavam piores do que antes e a mag. limite de observação era 8,9!  O mapa estelar abaixo  (obtido do Stellarium)  indica a localização da Nova, situada perto da estrela HP 75771. Os números ao lado de cada estrela indicam suas magnitudes (sem a virgula decimal).  

 

09/Out/2016

De  Tramandaí é  localizado  e observado   por volta de 20h48min   (Horario  Local)  o planeta Urano,  posicionado na constelação do Peixes (Pisces).  A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.   A magnitude do planeta foi estimada em 5,7 no comparativo com duas estrelas vizinhas, de mags. 6,0 e 6,2.  Notas:   1) O  mapa  estelar abaixo  (obtido do Stellarium 0.12.4)  mostra  a posição do planeta   em relação às estrelas vizinhas. O planeta  foi encontrado  justamente na  posição indicada.   Os números ao lado de cada estrela indicam suas magnitudes (sem a virgula decimal).  

09/Out/2016

De  Tramandaí é  localizado  e observado   por volta de 20h58min   (Horário  Local)  o planeta anão Ceres ,  posicionado na constelação da Baleia (Cetus).  A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.   A magnitude do planeta foi estimada em 7,6    no comparativo com tres  estrelas vizinhas, de mags. 7,6 - 8,2  e  8,7.    Notas:   1) O  mapa  estelar abaixo  (obtido do Stellarium 0.12.4)  mostra  a posição de Ceres    em relação às estrelas vizinhas. O planeta  anão  foi encontrado   na  posição indicada, diferindo da posição apontada pelo Stellarium .   Os números ao lado de cada estrela indicam suas magnitudes (sem a virgula decimal).  

21/Out/2016

De  Tramandaí é  localizada  e observada   por volta de 21h50min   (Horário  Local)  uma estrela do tipo   Nova que surgiu na constelação do Sagitário (Sagittarius)  cuja sigla é  TCP J18102829-2729590 .  A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.   A magnitude da estrela  foi estimada em  9,1   no comparativo com duas  estrelas vizinhas, de mags. 9,1 e 9,6. Como ponto de partida, apontou-se o instrumento para a estrela HP 88839 indicada no mapa.   Notas:   1) O  mapa  estelar abaixo  (obtido do Stellarium 0.12.4)  mostra  a posição da Nova  em relação às estrelas vizinhas.  Os números ao lado de cada estrela indicam suas magnitudes (sem a virgula decimal).   2) Em outra tentativa feita na noite do dia seguinte (dia  22), para   estimar o seu brilho, não foi possivel  fazer a observação, devido a presença de núvens no quadrante oeste.   3)  Posteriormente, ainda cedo da noite   ela foi observada nos dias 4, 5 e  6  de novembro! No dia 7, as condições do céu (claridade e poluição) nao permitiram sua visualização.

 

22/Out/2016

De  Tramandaí é  localizado  e observado   por volta de 20h05min   (Horário  Local)  o asteróide 18 Melpomene,  posicionado na constelação da Baleia (Cetus).  A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.   A magnitude do planeta foi estimada em 7,9    no comparativo com 4  estrelas vizinhas, de mags. 7,0 - 7,7 - 7,9 e   8,4.    Notas:   1) O  mapa  estelar abaixo  (obtido do Stellarium 0.12.4)  mostra  a posição do asteróide  em que o asteróide foi encontrado, em relação às estrelas vizinhas.  Os números ao lado de cada estrela indicam suas magnitudes (sem a virgula decimal).   2)  Para a localização  do asteróide,  tivemos como ponto de partida  a posição fornecida pelo site Heavens-Above, indicando que o asteróide  estaria  nas proximidades  da estrela 67 Cet de mag. 5,5.

 

 

04/Nov/2016

De  Tramandaí é  localizada  e observada   por volta de 20h56min   (Horário  Local)  uma  outra  estrela do tipo  Nova que surgiu na constelação do Sagitário (Sagittarius)  cuja sigla é  ASASSN-ma.  A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.   A magnitude da estrela  foi estimada em 8,2    no comparativo com duas  estrelas vizinhas, de mags. 8,4 e 8,6. Como ponto de partida, apontou-se o instrumento para a estrela Kaus Media (ou Del Sgr)  indicada no mapa.   Notas:   1) O  mapa  estelar abaixo  (obtido do Stellarium 0.12.4)  mostra  a posição dessa Nova  em relação às estrelas vizinhas.   2)  Posteriormente,  esta   Nova  foi observada ainda  cedo da noite   nos dias  5, 6 e 7 de novembro! Nos dias  8 e 9  as condições do céu (nuvens) não permitiram sua visualização. 3) Nota-se do mapa estelar que esta Nova estava bem próxima da  outra Nova (TCP J18102829-2729590)  observada dia 21/Out.  Ver essa data.

 

17/Jan/2017

De  Tramandaí é  localizado  e observado   por volta de 22h    (Horário  Local)  o asteróide 4 Vesta ,  posicionado na constelação do  Caranguejo   (Cancer)  quase  no  limite com a constelação de Gêmeos (Gemini).    A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.   A magnitude do planeta foi estimada em 6,4     no comparativo com  uma  estrelas vizinha  de mesmo brilho.       Posteriomente o asteroide foi observado  nas noites seguintes (18 e 19)  e   na  noite de 27 do mesmo mês. Em todas as noites de observação   ele estava  bem perto das posições indicadas pelo Stellarium.  Notas: 1) Isso não quer dizer que o Stellarium esteja fornecendo  posições  destoantes da realidade.  Talvez essa diferença de posição (do asteróide)  se deva ao fato  das coordenadas geograficas  reais do observador    não coincidirem rigorosamente  com   as informações que foram  fornecida ao programa (Stellarium). O mais  importante aqui  é que as posições fornecidas  são ótimos balizadores para o observador encontrar o corpo planetário. 2) A imagem abaixo da esq.,  mostra o percurso  do asteroide entre 13/jan e 13/fev de 2017 (CyberSky).  A imagem da direita mostra suas   posições  para 17/jan e  27/jan ,  conforme observações realizadas.  3)   O dia de  "oposição" (máximo brilho)  do asteróide   ocorreu  em 17/jan.

 

 

 

     26/Fev/2017

Ocorre  Eclipse Solar Parcial    com visibilidade  no Rio Grande do Sul.   

De Tramandaí,, o eclipse foi  observado atraves de uma "lente de soldador", objeto recomendado para esse tipo de observação porque bloqueia a maioria da radiação incidente do Sol. O 1o. instante  em que o Sol apareceu sendo "mordido" pela Lua  foi  às  09h49min (Hora Local).  Atraves do mesmo objeto, o eclipse foi sendo acompanhado até as 11h11min quando - pelas predições -  o  Sol  teria o maximo de sua área coberta pela Lua, algo em torno de 65%.  A partir desse momento, como  o Sol já estava muito alto, a observação do eclipse foi encerrada. Notas:  Nas fotos abaixo,   se mostra à esq.  o  objeto utilizado conhecido como "lente de solador", por ser utilizado  nos capacetes  de soldadores de objetos  metalúrgicos e nas fotos da dir.  2 fotografias: a do centro (foto tirada da praia no momento do meximdo do eclipse (11h11min).

 

26/Fev/2017

De  Tramandaí é  localizado  e observado   por volta de 19h45min   (Horário  Local)  o planeta Urano,  posicionado na constelação do Peixes (Pisces) bem próximo do planeta Marte.  A observação foi feita com  um  binóculos 20x80 com tripé.   A magnitude do planeta foi estimada em 5,7 no comparativo com duas estrelas vizinhas, de mags. 5,2 e 6,0.  Notas:   1) O  mapa  estelar abaixo  (obtido do Stellarium 0.12.4)  mostra  a posição do planeta   em relação a Marte  e  às estrelas vizinhas. O planeta  foi encontrado  justamente na  posição indicada.   2)   Os números ao lado de Marte  e das  estrelas indicam suas magnitudes (sem a virgula decimal).  

 

 

11/Abr/2017

Depois do exame de  uma  fotografia da região da constelação do Orion  onde se localiza a estrela variavel V1199 Ori , chamou a atenção que a estrela (V1199 Orinão aparecia na foto.  Em exame do  banco de dados da AAVSO,  viu-se que essa estrela, por ser de  mag. 8,8   deveria constar da fotografia, pois  fazia parte  da carta (da AAVSO) com mag. limite de 10,0!  Examinando  os   resultados  observacionais reportados, constatou-se que deveria haver um equivoco naquele valor (8,8).  A partir daí,  o fato foi comunicado a AAVSO para exame do assunto.  Depois de analisar o caso,  a AAVSO  informou    ao  Autor   que  realmente o valor da magnitude da estrela estava errada e  que estava alterando-o para  11,3.   Notas:  1) A fotografia em questão foi tomada em 26/Mar/2017   por Gilberto K. Renner com  uma  câmera DSLR  Nikon D5300. 2)   Abaixo à esq. a  vê-se que a  fotografia não  registra  a estrela  e  à dir.  a carta da AAVSO,  mostrando   a  posição da estrela.   3) A estrela A  é de mag. 9,3  e a estrela  B é a variável  ER Ori.     

 

 

Fotografia  da região

 

Carta da AAVSO (mag. limite=10,0)

 

 


  Voltar